SASEE.png

PERGUNTAS E RESPOSTAS

TREINAR EM DOIS PERÍODOS: VALE A PENA?

Primeiramente se você está se perguntando sobre isso é porque tem ALGO MUITO GRANDE, COMPLICADO OU ÁRDUO nos seus objetivos. Caso não tenha, esse artigo talvez não seja para você

Pode até parecer loucura imaginar alguém (principalmente um atleta amador) treinando em dois períodos, mas isso talvez seja mais comum que pensamos. Correr e malhar, pedalar e correr, nadar e malhar(...), muita gente faz jornada dobrada de treinos, mas treinar o mesmo esporte ou atividade no mesmo dia isso sim é uma atividade restrita a grupos seletos de atletas e devidamente orientada por profissionais.

É muito comum também ver comentários (até de profissionais) do que “pode” ou “não pode” sem conhecer ou vivenciar o que está acontecendo e o porquê está acontecendo assim, então vamos tentar dizer os momentos que isso é viável

FISIOCULTURISTAS, MARATONISTAS E ULTRAMARATONISTAS

Esses seres não são pessoas comuns e sendo assim seus treinos ultrapassam os limites do entendimento dos “mortais”. Imagina alguém correndo uma Meia Maratona, passando nos 10k apenas 1 minuto acima do seu melhor tempo nessa prova? Consegue imaginar alguém correndo uma maratona (num ritmo único e forte) e você não consegue o acompanhar em 5km? O que os fez assim? A capacidade fisiológica TREINADA de suportar o estresse provocado pelo exercício.

Segundo o fisioterapeuta Marcel Sera “nosso corpo possui uma boa capacidade de adaptação, modelando-se conforme os estímulos que damos a ele. Por esse motivo, uma pessoa que treina força faz o músculo ficar mais forte, da mesma forma que se ela treinar resistência, o mesmo ficará mais resistente. Logo, quando DECIDIMOS REALIZAR TREINOS COM UM TEMPO MENOR DE INTERVALO ENTRE ELES, nosso organismo começa a DESENVOLVER MECANISMOS MAIS EFICIENTES DE RECUPERAÇÃO, buscando mais fontes de energia e ferramentas distintas para que consiga manter um bom rendimento durante as atividades”.

TRIATLETAS

Por incrível que pareça eles sofrem menos que o maratonista haja visto a mudança de planos, alavancas, grupos musculares em evidencia e repetições de sobrecarga sobre articulações. Até mesmo, nos períodos iniciais dos treinos com DOBRA, é recomendado que maratonistas pratiquem como treino um outro esporte ou modalidade como musculação.

Estudos revelam que “o resultado desta adaptação toda é uma melhora na performance com o passar do tempo. Ele é um dos (entre outros) princípios dos estudos que demonstram que realizar atividades físicas paralelas como bike, musculação e natação melhoram o desempenho durante as corridas, justamente porque, além do estímulo muscular diferenciado, reduzimos o tempo de descanso entre um treino físico e outro, obrigando nosso sistema a se recuperar mais rapidamente e gerar energia com mais eficácia”.

ENTÃO NÃO É MALUQUICE?? Claro que não!

Existem outras coisas em questão. DOBRAR treino é uma boa forma de DILUIIR VOLUMES GRANDES DE TREINO com intervalo para recuperação. Essa diluição muitas vezes poupa o atleta de lesões causadas por horas interruptas de agressão a musculatura e outras estruturas físicas.

E QUAL SERIAM OS INTERVALOS, INTENSIDADES E FREQUÊNCIA?

Isso quem define é o profissional responsável. Ele sabe que essa estratégia não é feita sempre e tão pouco será uma rotina. Vocês dois (você e seu técnico) devem entender que a DOBRA é uma parte integrante POSSÍVEL do mesociclo para algo alcançar algo que é tão importante que mereça esse esforço. DICA: O feedback é importante na manutenção dessa estratégia.

Mas não esqueça do primeiro parágrafo!

Leia mais em:

https://www.ativo.com/experts/correr-duas-vezes-um-dia-treinos-longos/

 

O que você precisa ou tem dúvidas sobre saúde e bem-estar podem encontrados na internet. Treinamentos, “dietas”, bulas de medicamentos e até supostas formas de tratamento de lesões, gratuitamente ou a baixo custo, no entanto, qual seria realmente o preço dessa “pechincha”?

A modernidade por meio das redes sociais promoveram pessoas a celebridades ou a especialistas sobre tudo, não é difícil de encontrar pessoas “famosas” indicando ou “postando” seus treinamentos ritmos de vida aos seus seguidores. Até aí, não vejo tantos problemas, mas o que muito cresce são as consultorias online.

Especialistas afirmam que para um acompanhamento remoto (à distância) para surtir efeito deveria seguir pelo menos alguns parâmetros de segurança bem como fornecer ao cliente / usuário uma plataforma ou canal de feedback, e sem elas, os riscos à saúde são grandes.

Já percebeu que a maioria das planilhas de treino tem a mensagem que o autor é responsável pelos dados e informações? Boa parte dos sites que fornecem esse serviço tem um profissional (ou pelo menos uma parte deles) que é responsável por aquilo que está ali descrito, mas é seu livre arbítrio fazer ou não. Percebeu? Como redes sociais de celebridades, muitas dietas, planilhas não são prescritas e sim sugeridas, revertendo assim a culpa ou responsabilidade para você!

Para o professor especialista Edgard Batista, “o treino deve ser desenvolvido pessoalmente, pois muitas pessoas pegam treinos das redes sociais e não tem conhecimento do que elas estão fazendo, ou simplesmente não respeitam as etapas e não passam por um processo de aprendizagem motora do próprio movimento. Não ter conhecimento sobre esse processo de movimento pode fazer com que o indivíduo potencialize alguma lesão em algum músculo que não esteja estabilizado para exercícios físicos”.

O PRINCIPIO DA INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA DO TREINAMENTO

Fim de ano, pós festejos natalinos, as lojas se especializaram em trocar presentes com a numeração errada, e nessa analogia, perceba que muitas pessoas, mesmo convivendo com você ainda erram gritantemente sua numeração, quiçá alguém que de longe apenas lhe oferece um serviço sem saber como seu corpo respondeu a ele?

A fisiologia do exercício diz que essa individualidade é o “fenômeno que explica a variabilidade entre elementos da mesma espécie, o que faz que com que NÃO EXISTAM PESSOAS IGUAIS ENTRE SI.” (TUBINO, 1984).

DEVO CONTRATAR ESSE SERVIÇO?

Sim, mas com ressalvas!

  • Qualquer serviço remoto deve oferecer além das informações básicas a POSSIBILIDADE DE FEEDBACK (preferencialmente o mais presencial possível), sem ele, não contrate!

  • Indivíduos ou atletas não são gerados em linhas de fábrica, suspeite de planejamentos coletivos, sem o devido respeito a individualidade e a forma de adaptação de cada um;

  • Conheça as qualificações do(a) profissional escolhida. Lembre se que até “papagaio” fala nas redes sociais;

  • Cuidado com planilhas que pedem testes! SÃO NECESSÁRIOS, mas sem suporte (presencial) e segurança, podem apresentar riscos à saúde.

Procurar respostas pela internet é uma boa solução por permitir acesso a procurem serviços especializados, mas que, como qualquer outro serviço, deve passar pelo crivo do “reclame aqui” antes da contratação. O tal barato pode ficar muito caro se os parâmetros apresentados aqui não forem observados.

Sabemos o quanto custa ou quanto se é investido no serviço presencial, mas ainda é a melhor forma de se fazer um programa de saúde dar resultado e de forma segura.

PLANILHAS DE INTERNET... VALE A PENA?

 

Perambulo pelas redes sociais (Instagram, Facebook) observando o comportamento da “maré” das pessoas que praticam atividade física (amadoras ou profissionais), e o que mais percebemos é a energia que vem de cada canto, que motiva as pessoas que querem mesmo mudar de rotina ou por mais vida em seus anos, no entanto...

Percebemos que perguntam muito, mas SERÁ QUE NOS OUVEM?

A internet é um grande celeiro de informação, disponível 24 horas, mas nem tudo que lemos se aplica a nossa realidade e também nem tudo que há de bom e verdadeiro é realmente aplicado por aquele que lê.

Compilamos algumas perguntas postadas em grupos públicos

“EU NÃO CONSIGO CORRER MAIS QUE 5KM”

Se essa dúvida viesse de um iniciante eu até diria que a constância dos treinos ela conseguiria superar em muito essa distância, mas quando parte de alguém que diz treinar percebemos que mais coisas podem estar envolvidas. Dicas:

  • Comece mais devagar; Inicio muito vigoroso geralmente tem seu preço

  • Evite alimentação hipercalórica sem orientação, reveja a qualidade da alimentação ingerida; consulte um nutricionista.

  • Treine com o máximo da pele exposta (no calor), isso ajudará a não perder rendimento por aumento de temperatura. Você está correndo e não fazendo mergulho;

  • Vá com alguém. Correr junto faz a distância parecer menor. Participe de uma assessoria ou grupo de atletas

“DEVO CORRER TODO DIA OU INTERCALANDO”?

Saiba que nem os quenianos correm todo dia. O treinamento é composto de uma fase de estresse sobre o organismo e outra de resposta ao estresse. A resposta dada pelo organismo ao estresse se chama condicionamento. Uma dica: é no repouso que o organismo gera a resposta, portanto.... Descansar é treino!

Já que quer treinar sério, por que não contrata um serviço especializado?

“MALHAR ANTES OU DEPOIS DE CORRER”?

Aí vai depender de que fase do treinamento ou qual das atividades é a mais importante nos seus planos. Se o objetivo é ser mais veloz, a musculação não deve COMPETIR com a corrida. Independentemente se antes ou depois, se NÃO FOR ADEQUADA, aumentará os riscos de lesões por overtrainning

Se o objetivo for malhar reveja o volume de treinos de resistência; Se for correr, pedalar, nadar, (...) tente colocar a musculação 12h APÓS ao treino. Essa sugestão de 12h de repouso se aplica a PILATES também.

Olha esse exemplo:

“A PARTIR DE QUANTOS QUILOMETROS POSSO CONSIDERAR LONGÃO”?

Duas respostas foram perfeitas: A do professor VALDECARLOS da equipe MTFIT que deixa claro que isso depende do grau ou fase do treinamento que o aluno / atleta está e de um outro internauta que diz que é “a distância que bate o arrependimento” (não deixa de ser verdade também) rss

A única coisa que pontuamos é se o longão é ou não treino! Se há objetivos claros e metas envolvidas, sim, o longão é treino, mas se for apenas para publicar nas redes o quanto você é resistente.... Não! Na verdade, você está é maltratando seu corpo sem necessidade. Isso também se aplica a pedalar!

O site www.saudeaserio.net tem um canal de relacionamento para dúvidas. Pergunte! Uma informação correta pode lhe poupar tempo e saúde.

PERGUNTAS DA INTERNET

 
 

EXISTE UM JEITO CERTO DE CORRER?

Existe uma maneira ideal de correr? Mesmo considerando que cada pessoa tem seu modo particular de se mover, a resposta para essa pergunta é "sim". O padrão ideal de corrida gera menor sobrecarga sobre os músculos e articulações, previne lesões e melhora a performance. De acordo com a fisioterapeuta Raquel Castanharo, ele tem alguns pontos importantes que, se presentes dentro das suas características particulares de movimento, vão gerar uma corrida eficiente e saudável:

Aterrissagem próxima ao centro de gravidade

O pé, quando vai tocar o chão, deve estar perto do tronco e não muito afastado para frente. Quando o pé aterrissa próximo ao nosso centro de gravidade - um ponto na região lombar, aproximadamente -, o braço de alavanca da força gravitacional sobre as articulações é menor. Traduzindo: os músculos precisam fazer menos força para manter o corpo em pé, e a sobrecarga - compressão, desgaste - sobre as articulações é menor.

Pisar com médio pé atenua o impacto e o risco de lesão como fratura por estresse (Foto: Getty Images)

Aterrissagem com o médio pé

Aterrissar tocando primeiramente o calcanhar no chão gera um pico de impacto brusco sobre o corpo. Quando se aterrissa batendo primeiro o meio do pé no chão, e não o calcanhar, esse pico de impacto é atenuado, o que diminui os riscos de lesão - como, por exemplo, as fraturas por estresses. Isto acontece porque os próprios músculos do corpo agem mais para absorver o impacto, poupando as articulações e ossos. Este padrão de pisada, associado à aterrissagem do pé próxima ao tronco, proporciona uma corrida com menores forças que freiam o corpo, e os músculos trabalham de uma maneira mais eficiente.

Se acertar na pisada, os músculos trabalham de forma mais eficiente durante a corrida (Foto: Getty Images)

Poucos movimentos de rotação e lateralização

Pegando o joelho como exemplo, seu principal movimento durante a corrida é o de flexão e extensão. Se nele ocorrer uma rotação exagerada, ou uma grande inclinação para o lado - “cair” para dentro é o mais comum -, as chances de lesão aumentam. Esta importância do alinhamento pode ser extrapolada para todas as articulações.

Evita que o joelho "caia" para dentro é importante para afastar problemas futuros (Foto: Istock)

Economia de energia

Todos os pontos citados acima já proporcionam economia de energia para o corpo, o que pode ser convertido em melhor desempenho. Além disso, é importante manter uma postura alta e não “pular” durante a corrida. A postura alta facilitará a execução dos movimentos adequadamente, e deslocamentos verticais exagerados só geram desperdício de energia e aumentam o impacto do corpo com o solo.

Este é o padrão de corrida observado nos melhores atletas profissionais, mas é acessível a todos com um bom treinamento. Ele é a chave para potencializar seus treinos, prevenir e tratar lesões.

FONTE: EU ATLETA

 

PESO É ALGO RELATIVO, MAS...

Vamos tentar diferenciar uma coisa: PERCENTUAL DE GORDURA e PESO são coisas bem diferentes quando falamos de desempenho

Recentemente vi uma postagem falando que o peso é algo relativo quanto a prática de atividade física. Sim e Não! Ele NÃO é um impedimento imperativo quanto a realizar determinadas atividades e tão pouco desculpa para se justificar o nível critico de sedentarismo que a população brasileira está submetida, ou seja, quase 58% das pessoas. Não estamos falando de padrões de belezas ok?

E SIM, quando observamos que a grande maioria dos resultados, recordes, desempenhos estão associados a determinados padrões, percebe-se que é preciso levar em conta que levar ou deixar podem ser determinante. Dados apontam que acréscimo de 5% no percentual de gordura, provocaria decréscimo da mesma ordem numa prova de 12k de corrida.

A relatividade do sim e do não revela-se que os mesmos 5% poderiam melhorar o desempenho de um defensor de futebol americano ou de um judoca peso pesado.

O CICLISTA: UM CASO A SER ESTUDADO.

Apesar de não termos muitas características dominantes (alto, baixo, longo, curto) ao biótipo, os resultados mais expressivos do ciclismo se mostram dependentes (além da relação peso / força) de como o atleta supera as dificuldades e intemperes das provas quanto ao relevo, distancia ou condições atmosféricas (...), uma baixa porcentagem de gordura é uma característica muito observada nos ciclista de sucesso, onde nos pelotões de elite europeus, variam de 6 a 11% enquanto que para atletas amadores o percentual de gordura costuma oscilar entre 12 e 16%.

QUALQUER UM PODE CORRER: SIM

E a relação do peso e percentual de gordura? Existem pessoas pesadas, mas que tem percentuais de gordura baixos. Um exemplo disso são os atletas da NBA (Basquete Americano Profissional). A relação peso / altura não se aplica a pessoas que são atletas, amadores ou profissionais, pois a quantidade de musculatura desenvolvida supera o peso da representação de gordura.

Um dado: Os corredores de longa distância têm valores em torno de 7% para os homens e 12% para as mulheres e pesam muito pouco em virtude da pouca massa muscular.

Mas qualquer um pode correr? Claro! A questão aqui apresentada trata-se de performance, mas nem todo praticante deseja ser um atleta de rendimento e sim cumprir uma determinada distancia sem andar no percurso, e pra isso basta treino e uma vontade maior que o medo.

AH EU QUERO SER TRIATLETA...

Os “atletas multi-esporte”, que podem levar seus corpos a desgastes próximos ao limite, precisam, caso a natureza ou biótipos não favoreçam, investir na técnica, materiais adequados e de qualidade e num incrível treino de adaptação fisiológica ao estresse físico, mas não podemos deixar de apontar que os atletas de elite tem uma baixa porcentagem de gordura, sendo que os homens giram entre 6-10% e as mulheres 12-16%.

A titulo de comparação e para parâmetros temos como percentuais normais (bons) para homens não atletas entre 12-18% e mulheres 18-23%.

Decidir treinar, desenvolver, mover-se não é parametrizado por medidas de cintura, gordura ou magreza, mas sim por algo maior que o pódio possa nos oferecer, mas quem treina há algum tempo, pense em carregar apenas o necessário e o que lhe ajudará em sua performance.

Gordinhos corredores! Sou fã de vocês!

http://www.espiritooutdoor.com/voce-sabe-o-seu-peso-ideal-para-competir/

 

TREINOU, RODOU OU OS 2?

LONGÃO NÃO É SÓ CORRER.

Um dos grandes focos do site SAÚDE A SÉRIO é levar e disseminar a informação, que muitas vezes tem fontes sem muita confiabilidade, mas mesmo assim é replicada. Esse fenômeno moderno, tem aumentado potencialmente os riscos da atividade física pela replicação de exercícios ou treinamento sem nenhuma ou quase nenhuma orientação.
Chegou a redação a pergunta da corredora Cristina (Cuiabá-MT) sobre qual seriam os critérios em se adotar ou realizar LONGÕES dentro de uma matriz de planejamento de corrida e quais seriam os benefícios e riscos desse tipo de treino tão comum?
O profissional ao planificar um treinamento (chamamos de ciclos) ele usa dados (ou estudos) fisiológicos para elevar a capacidade ou aptidão física do atleta. Esse treinamento de base buscará elevar dois elementos importantes para o desempenho: o VO2 MÁX E O LIMIAR ANAERÓBIO.
O VO2 máx, segundo MCARDLE (2011), pode ser elevado a 90% do patamar inicial em cerca de 10 a 12 semanas, em contra partida, cada 1% além disso pode levar cerca de 3 a 4 semanas. É nesse momento que o técnico “decide” se há a necessidade de avançar em infinitos e duros treinos ou implementar outros tipos de trabalhos no treino, objetivando assim os melhores resultados.
Já o LIMIAR ANAERÓBIO depende da capacidade de transformações fisiológicas promovidas pelos treinamentos, portanto, aquele resultado da esteira (espirometria) pouco tem importância se não houver transformações fisiológicas para suportar a presença do ácido lático no organismo. Prova é que ter o melhor VO2 não garante o melhor resultado
Esse progresso de transformações fisiológicas, como percebeu, leva várias semanas e deve ser sistematizado (e não inventados) quanto as variáveis, INTENSIDADE X VOLUME X CARGA, por isso, CORRER POR CORRER vai melhorar seu VO2 e seu limiar anaeróbio, mas não necessariamente irão promover o praticante a estar apto a ter seu melhor resultado ou suportar a demanda de uma determinada prova.
Treinamento é uma ciência não exata, mas repleta de dados e pesquisas que podem oferecer ideias ou “nortes”.
QUAL SERIA O PAPEL DO LONGÃO?
Para iniciantes:
•    Os treinos contínuos são excelentes, pois, além de ter uma GRANDE RESPOSTA ADAPTATIVA, trará EXPERIÊNCIA DE QUILÔMETROS RODADOS. Correr uma meia maratona sem vivenciá-la em treino não é interessante, mas possível. Isso deve SER POSTO AOS POUCOS e não em loucuras. PARA UM INICIANTE, até 5km pode ser considerado LONGÃO.

Para experientes:
•    Os treinos de longas distâncias trarão, NA MAIORIA DAS VEZES, apenas a MANUTENÇÃO DOS VALORES DE VO2 MÁX e suas adaptações em virtude da baixa intensidade (Infra limiar anaeróbio), mas ajudam no aumento progressivo do volume de treinamentos para novos ciclos.


Percebeu a diferença entre LONGÃO REGENERATIVO E VIVENCIAL e o que tem como foco um dia normal de TREINO daquele ciclo? Percebe que é bem diferente um novato dizer que vai fazer um LONGÃO (rodagem) de 12K e um atleta (profissional ou amador) bem experiente que vai treinar num fim de semana “X” fazer 21k numa determinada faixa de treinamento.
POR FIM
•    No fim de semana você “RODOU” ou tinha um “OBJETIVO ESPECIFICO A MAIS” nele a ser cumprido? Ambos têm MUITA importância, mas não são a mesma coisa;
•    Correr é diferente de treinar? CORRER é um ato comum e natural; TREINAR carece de conhecimento e PRESCREVER treino de HABILITAÇÃO e sem isso é um ato ilegal.

RODE OU TREINE, MAS SAIBA O QUE ESTÁ FAZENDO E PORQUE ESTA FAZENDO.

Obrigado pela pergunta Cristina!


Bibliografia sugerida: 
McARDLE, W. D.; KATCH, F. I.; KATCH, V. L. Fisiologia do exercício: energia, nutrição e desempenho humano. 7.ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2011.

Após longas semanas de treino, muito suor, dor, coração e musculatura sendo postas à prova, chega o momento de pôr para fora a tão esperada performance... Dia, hora, lugar, melhor material esportivo(...) tudo preparado. Você se posiciona perto da linha de largada e se pergunta: EU DEVERIA OU NÃO AQUECER?
Qual sua opinião sobre aquecer antes de uma prova? Por que? Justificar a resposta dá crédito a sua opinião.
O QUE É AQUECIMENTO?
Aquecer é a realização de movimentos ativos (ou não) de baixa ou moderada intensidade, que são tornam eficazes não somente na elevação da temperatura corporal, mas promovendo adaptações necessárias a uma melhor e mais rápida resposta fisiológica muscular. Ele pode ser geral ou específico.
Para Weineck (2003) citado por Di Alencar & Matias, “Atividades de aquecimento são necessárias PARA PREPARAR O CORPO PARA A ATIVIDADE FÍSICA VIGOROSA porque aumentam o desempenho e diminuem o risco de lesão muscular. Intensidade moderada de aquecimento ativo e aquecimento passivo PODEM AUMENTAR O DESEMPENHO MUSCULAR de 3 a 9%”.
Pode parecer pouca coisa, mas além de reduzir o risco de lesões musculares, o incremento de 3 a 9% de eficiência pode ser de muita relevância, principalmente onde as disputas são bem acirradas. Consegue perceber que esse percentual pode mudar um pódio?
A ELEVAÇÃO DA TEMPERATURA PREJUDICARÁ O RENDIMENTO?
O aquecimento proposto (baixa ou média intensidade) tem relações diferentes com o aquecimento do corpo e o da musculatura, pois tem elevações diferentes. O tecido muscular tende a elevar sua temperatura de forma mais lenta que a corpórea, sendo assim o suor é um indicador visível, mas não fidedigno de que estamos aquecidos e aptos a um estresse muscular.
Para Tortora e Grabowsky, citados pelo mesmo autor, “à medida em que a temperatura aumenta, dentro de limites, aumenta a quantidade de O2 liberado da hemoglobina”. Esse calor é um subproduto das reações metabólicas de todas as células, e o calor liberado pela contração das fibras musculares durante o aquecimento tende a elevar a temperatura do corpo promovendo a liberação de O2 da oxiemoglobina e o aumento do aporte sanguíneo em direção aos músculos envolvidos, em virtude disso o ganho potencial de desempenho.

Veja outras vantagens:
•    Aumento da temperatura muscular e do metabolismo energético;
•    Incremento da elasticidade do tecido 
•    Maior produção do líquido sinovial (aumentando a lubrificação das articulações);
•    Aumento do débito cardíaco e do fluxo sanguíneo periférico;
•    Melhora da função do sistema nervoso central e do recrutamento das unidades motoras neuromusculares. Estas modificações provocam melhoria na fluidez e na eficácia do gesto esportivo prevenindo os problemas articulares
•    A velocidade de condução do impulso nervoso também aumenta, resultando em maior velocidade de reação e coordenação dos movimentos.
Ah! TEM UMA COISA
Essas pesquisas se aplicam a pessoas com certo treinamento. Dados sobre sedentários não seguem as mesmas regras em virtude do rápido alcance de gasto de energia em virtude do destreinamento, idade, período do dia, estado emocional, temperatura ambiente.... Então, se você não tem muito tempo de treino, aqueça, mas bem mais leve.
E agora voltamos a linha de largada e respondemos a nós mesmos: SIM! Eu deveria te aquecido antes!

Leia mais em: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v16n3/15.pdf

 

E AI? AQUEÇO OU NÃO?

Se há uma coisa que é comum a toda pessoa que treina, independentemente do esporte ou modalidade que escolheu, é a dor. Sim! Ter dores, sejam elas musculares ou articulares fazem parte do “diário de bordo” de qualquer um que abandonou o sofá e resolveu mover-se!
Estudos revelam que o corpo humano foi feito para estar em movimento, no entanto nossa estrutura anatômica diz que seríamos feitos para ter movimentos quadrupedes (quatro apoios), mas que por atrevimento da evolução ou necessidade (prefiro chamar de audácia) resolveu ficar de pé e enfrentar a gravidade. Então.... Esse desafio tem seus preços e suas dores. E que dores...
A planta do pé, coluna vertebral, ombros, inclusive dentes sofrem com os sucessivos impactos oriundos dessa audácia humana, sabendo disso, será que essas regiões não carecem de cuidados mais especializados que não sejam fármacos ou suplementos? Já pensou em tentar a reflexologia?
Os profissionais que trabalham com esse método ou conceito, relatam que por meio do estimulo ou toque em determinadas regiões do corpo podem indicar e/ou sugerir desequilíbrios que mereçam maiores cuidados. Ela não é um tratamento convencional ou médico, mas tem propriedades comprovadamente ligadas ao bem-estar, pois quando determinado ponto é massageado, segundo os praticantes, essa pressão enviaria estímulos ao cérebro e ao corpo que aliviaria as dores, reduzindo assim os sintomas apresentados.
Sem uso de medicamentos, muitos atletas passaram a utilizar a reflexologia para manter o equilíbrio físico e mental, além de aliviar dores de lesões, principalmente por estresse ou fruto da ansiedade.

Observe os benefícios estão associados a reflexologia (segundo os profissionais):
ANTES DE UMA PROVA:
•    Melhora a respiração;
•    Envia oxigênio as células;
•    Melhora a circulação;
•    Elimina as toxinas;
•    Produz epinefrina para dar mais energia;
•    Relaxa e prepara os músculos.
DEPOIS DE UMA PROVA:
•    Relaxa os músculos;
•    Aumenta a energia gasta;
•    Estimula a secreção dos hormônios;
•    Melhora o tônus muscular;
•    Melhora o processo inflamatório;
•    Equilibra o nível de açúcar;
•    Diminui a tensão muscular e da coluna;
•    Relaxa e aumenta a circulação nas áreas que precisam de recuperação.

Fonte: http://www.maisequilibrio.com.br/fitness/reflexologia-para-todos-e-principalmente-para-atletas-3-1-2-58.html 


A fisioterapeuta Ana Maria de Almeida relata a procura pelo método: “temos pessoas que procuram após as provas mais duras, principalmente aqueles praticantes que tem algum tipo de desvio postural ou quanto a prevenção de dores lombares”.
E agora? Ficou tentado a conhecer o tratamento ou filosofia do toque?
Eu posso garantir que é uma experiência interessante!

TERAPIAS ALTERNATIVAS:

POR QUE NÃO EXPERIMENTAR?

 

Se observarmos pelo princípio da especificidade, onde quem corre precisa correr, ou seja, fazer trabalhos associados ao que realmente faz, teríamos uma negativa, mas se ponderarmos sobre os benefícios implícitos da atividade sobre a modalidade, teremos um outro ponto de vista.

Sobre o nadador, antes mesmo de se deslocar, temos uma força que o liquido exerce sobre ele. Essa força tenta “ocupar” o espaço tomado pelo nadador ao entrar na água e se chama pressão hidrostática? Então, quanto mais líquido você desloca ao entra na água, mais resistência esse liquido exercerá sobre você.

Fora da água os músculos auxiliares da respiração tem pouco trabalho, mas dentro d’água eles precisam vencer a pressão que empurra as paredes para dentro. Pois é, a natação já começa a trabalhar sua capacidade respiratório só pelo fato de ficar imerso (total ou parcialmente) nela.

RELAÇÃO NATAÇÃO E IMPACTO

Contrariando o senso comum, não concordo com a ideia concebida que natação é uma modalidade sem impacto, talvez não gere impactos sensíveis nos membros inferiores, mas as repetições e repetições são deslocadas para membros superiores e costas, por isso, nadar por nadar pode só transferir o local do estresse momentaneamente, sendo assim, é importante, como na corrida, investir no aprimoramento da técnica.

RESTDAY (dias de repouso)

No dia após os treinos mais intensos da semana, a natação promove uma melhor remoção dos metabolitos acumulados no esforço intenso além de aliviar o desgaste da musculatura SE FOR OBSERVADA COMO INTEGRANTE DO TREINO e não por “modinha”.

NADAR E RELAXAR

Além dos benefícios ligados a natação, como a melhoria da resposta fisiológica ao exercício e a reabsorção de metabólitos, nadar relaxa.

Um dos grandes apontamentos feitos sobre atletas, ou praticantes regulares, é o grau elevado de estresse que estão submetidos quando procuram elevar seu potencial atlético. Esses níveis de tensão aumentados, associado ao uso de suplementação (não sabia que alguns suplementos podem desencadear picos de humos?) e alterações hormonais (principalmente nas mulheres).

POSSO CORRER E NADAR NO MESMO DIA?

A indicação dos especialistas é que a natação seja programada em dias intercalados com a corrida. Ela também pode ser prescrita em dias regenerativos, no entanto alertam que você jamais deve nadar antes de treinos longos de corrida. Nestes dias a musculatura deve estar mais descansada.

Intercalar os treinos de corrida e natação é o melhor ponto, mas isso deve ser feito pelo profissional de Educação Física capacitado. Ele saberá qual a intensidade e número de sessões ideal para o seu objetivo e de preferência, se um profissional acompanha a corrida e outro a natação que se conversem para que não haja choque de planejamentos. O IDEAL QUE FOSSE O MESMO!

Vai iniciar um trabalho duplo ou triplo? Um programa que tenha musculação, natação e corrida? Sente com seu COACH e planejem juntos. Não se encante por modinhas de INSTAGRAM ou pelo que virou tendências entre as musas ou artistas.

Dicas para um trabalho de natação bem feito:

  1. Faça um acompanhamento médico prévio e programado;

  2. Contrate um serviço especializado, se possível um personal;

  3. As atividades devem estar em sintonia e não conspirando contra a outra;

  4. Não esqueça da mudança na alimentação.

  5. Que não seja “fogo de palha”

Bom treino!

Leia mais em: https://www.saudemelhor.com/fazer-natacao-ajuda-na-corrida/

Comente o que achou.

Clique aqui

FAZER NATAÇÃO AJUDA NA CORRIDA?

 

De outubro a dezembro um grande número de eventos esportivos acontecem pelo Brasil, dentre elas a desafiante meia maratona ou simplesmente 21K. Desafiante, pois muitas pessoas quando resolveram mudar seus hábitos e largar o sedentarismo, colocou em suas metas concluí-la.

Essa prova, não tem uma história por trás como a MARATONA, mas possui sim a história de superação de muita gente que conseguiu vencer os poucos mais de 21 quilômetros que separavam a largada da chegada. E esse dia pode estar chegando para você...

Por isso, é imprescindível saber o que comer e o que evitar para que um projeto de seis meses a um ano gere uma tremenda frustação. Segue as belas sugestões do site EU ATLETA para aumentar as chances de sucesso na prova:

NO DIA ANTERIOR À PROVA

  • Aumentar a ingestão de líquidos ao longo do dia: EM TORNO DE 3 LITROS DE ÁGUA;

  • Faça o carregamento de carboidratos, aumente a ingestão de carboidratos;

  • EVITAR O CONSUMO DE BEBIDA ALCOÓLICA;

  • Evitar alimentos integrais, folhas cruas, comida japonesa, alimentos fritos e gordurosos, alimentos que possam dificultar a digestão e produzir gases (brócolis/repolho/ couve-flor/ pimentão), qualquer alimento que possa acarretar contaminação ou desconforto gastrointestinal;

  • Fracionar as refeições: de 6 a 8 refeições; não esquecer os lanches intermediários (bolo, salada de frutas, sanduíche, sucos de frutas...)

  • Durante o almoço: ingerir proteína com pouca gordura (filé mignon, frango ou acompanhado de carboidratos (batata, arroz,macarrão);

  • Durante o jantar: em torno de 80 - 85% da refeição deve ser composta por carboidrato associado com pequena quantidade de proteína, por exemplo Macarrão ao molho de tomate com frango ou Nhoque a bolonhesa. Evite pizza ou massa com molho de queijo.

NO DIA DA PROVA

  • Acorde pelo menos duas horas antes da prova para fazer tudo com calma. Beba 250 a 500 ml de água;

  • No café-da-manhã utilize: frutas, suco de frutas, bolo, pão, queijo magro e geleia. Algo que você já tenha testado nos treinos. Evite frutas laxativas (mamão, laranja, ameixa seca), leite, iogurtes e alimentos integrais para não acelerar o “trânsito intestinal” e precisar de um “pit stop” durante a corrida;

  • Faltando 15 minutos para a largada, coma bananada ou gel ou jujuba de carboidrato com água, por serem de fácil e rápida absorção.  

DURANTE A PROVA

  • Beba água em todos os postos de Hidratação, a recomendação de hidratação são 400 a 800 ml de água por hora (Maiores volumes de água para corredores mais rápidos e mais pesados e condições ambientais  quentes). Portanto, por segurança, pegue um copo de água em cada posto e se hidrate.

  • Beber água durante a corrida não é perder tempo, os riscos de desidratação em provas de longa distância com temperaturas elevadas, são enormes. Estar desidratado compromete o desempenho na prova e oferece riscos à saúde;

  • Se a temperatura estiver muito elevada jogue água na cabeça, nuca e punhos, tente manter seu corpo resfriado. Cuidado para não molhar o tênis;

  • A cada 7 a 8 km ou 40 - 45 minutos de prova, próximo a um posto de água, UTILIZE GEL ou jujuba de carboidrato ou bebida esportiva (500ml) ou Bananada (30g, lembre-se que a absorção é mais lenta do que os demais). A recomendação de carboidratos é de 30 a 60g por hora de atividade.

APÓS A PROVA

  • Nos primeiros 30 minutos ingerir água, frutas, água de coco, suco de frutas, bebida esportiva bolo, mini sanduíche, mel, granola;

  • Para cada 0,5 kg perdido reponha 450 a 675 ml de líquidos:

  • No almoço equilibrar uma refeição com carboidratos (macarrão, batata, arroz) e proteínas (carne, frango ou peixe);

  • Evite bebida alcoólica, pois dificulta a hidratação e a recuperação muscular;

  • Continue se hidratando ao longo do dia.

 

Fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/corridas-e-eventos/meia-maratona-rj/noticia/2015/08/alimentacao-para-corrida-o-que-comer-e-beber-antes-e-depois-da-meia-do-rio.html

Comente o que achou.

Clique aqui

21K: DICAS IMPORTANTES DE ALIMENTAÇÃO.

 

Com o vertiginoso crescimento das práticas desportiva ao ar livre (bike, corridas, Cross fit, ...) e com a disseminação da informação “FITNESS” pelas redes sociais e canais de vídeo, muita gente tem cada vez mais arriscado suas vidas e saúde na prática que chamo de “I RULE THIS”, ou seja, “NÃO PRECISO DE NINGUÉM, FAÇO COMO QUERO, MANDO EM MIM”

Parece meio duro, mas é uma grande verdade que temos muita gente por aí que até compete em circuitos nacionais, mas seus treinamentos são comandados e direcionados por eles mesmos, muitas vezes sem qualquer planejamento, com treinos de internet, cópia de workouts de grandes atletas, mas saber para que serve...

Engana-se que acha que somente o trabalho de performance carece de um profissional habilitado que os prescreva, pois a medida que a necessidade por resultados e expectativas crescem, quando as horas de treinam aumentam e os objetivos são cada vez mais duros, sem a orientação correta o risco de fracasso aumentam.

É meio irracional começar uma edificação, um projeto, programa (...) sem imaginar em que solo vai colocar seus alicerces. Um dado: a quantidade de pessoas que desistem mais as que se lesionam de forma repetitiva por programas criados em suas mentes ou tendo o Google como “cumplice” é cada vez maior e preocupante.

Não podemos deixar de evidenciar que contratar um profissional não é algo acessível à maioria da população. Sabemos e reconhecemos todo o investimento feito pelo profissional em sua capacitação, mas são valores a serem considerados que pesam na matriz de contas a pagar, tornando o “correto” inviável.

Ai entram as assessorias esportivas, uma forma mais barata e com um custo benefício mais próximo a realidade nossa. Muitas dessas agremiações ou grupos são gerenciadas por pessoas responsáveis e extremamente competentes na prestação do serviço, mas mesmo assim sempre haverá o “I RULE THIS”.

Participar de uma equipe, além dos benefícios já conhecidos como melhoria dos seus tempos, redução do número de lesões, sua longevidade, maior entusiasmo, mais foco no objetivo e da alegria de se trabalhar em grupo, você terá a possibilidade de fazer um treinamento sistematizado que consiga transformar suas metas em coisas mais reais e palpáveis.

INVESTIR num profissional seja ele PERSONAL, COACH, TREINADOR, (tem tantos nomes agora que o povo confunde), além do poder aquisitivo, deve estar relacionado à vontade de fazer a coisa certa desde a primeira vez. Essa decisão deve ser anterior a compra do tênis ou da BIKE nova.

PERSONAL é o profissional que trabalha de forma personalizada, ou seja, só com você; COACH é aquele que será como um mentor PARA VOCÊ, que além dos treinos lhe ajudará, oferecendo subsídios, a fazer a escolha mais razoável, inclusive carreira; TREINADOR é o profissional que tem com objetivo fazer você e sua EQUIPE chegarem a excelência no seu objetivo. Saiba então o que você espera que seu profissional seja. Ele(a) não será seu EMPREGADO, MORDOMO, BABÁ, MÃE OU PAI ok?

Fica a dica: Profissionais bons não “dão em árvores”! O mercado está cheio de bons profissionais, mas também repleto de mercenários e “artistas” do esporte. Aprenda a diferenciar e valorizar o investimento que está fazendo. Mas contrate o serviço! Vale a pena!

Comente o que achou.

Clique aqui

PERSONAL, COACH, TREINADOR?  PRECISO DE UM TÉCNICO!

 

Os corredores que me acompanham nessa coluna sabem como defendo o trabalho de qualidade que passa por saber sempre dosar a frequência de treinamento semanal, volume, intensidade, tipo de treino e descanso para cada período e/ou fase da preparação.

Priorizar a qualidade implica incluir a musculação, que tanto pode ser feita no mesmo dia do treinamento de corrida como nos dias vagos. Partindo do princípio que o corpo precisa de descanso, dá para treinar as duas atividades no mesmo dia, que inclusive é a minha preferência.

Para nós corredores que treinamos por prazer, ter dois ou três dias de descanso na semana é bom para toda a musculatura, sem prejuízo para o desempenho. Considero que quem não tiver como meta uma maratona ou meia-maratona pode abrir mão de correr todos os dias. Mesmo porque treinar mais de três dias por semana não acrescenta quase nada no rendimento.

Na questão muscular sabe-se que depois de qualquer treinamento, seja corrida ou musculação, O MÚSCULO PRECISA DE 24 A 48 HORAS PARA SE RECUPERAR COMPLETAMENTE, dependendo da intensidade que foi esse treinamento e as microlesões geradas. Entretanto, essa recuperação até hoje não está bem clara e podemos observar, por exemplo, que no dia seguinte a uma partida de futebol vamos encontrar jogadores descansando completamente, outros fazendo hidroginástica e outros atividade física leve diferente da principal, que pode ser inclusive a musculação. Ou seja, aplicam-se procedimentos diferentes para a mesma situação e isso vale para a corrida de alta intensidade, como os intervalados e as competições. No dia seguinte, alguns corredores preferem trotar na grama, outros descansar e outros fazer uma atividade diferente, desde que seja leve.

A OPÇÃO DE TREINAR CORRIDA, MUSCULAÇÃO OU DESCANSAR NO DIA SEGUINTE vai depender exatamente do nível de cada corredor. Os iniciantes e os veteranos devem realmente não fazer nada e voltar a treinar fraco somente 48 horas depois. Já os avançados e os de elite voltam a treinar fraco no dia seguinte ou conforme orientação de seus treinadores, até porque correm por outro motivo, além da saúde.

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

1) Em primeiro lugar existe consenso entre os especialistas que toda modalidade esportiva necessita reforço muscular para suportar os rigores do treinamento. É assim no vôlei, no basquete, no futebol e por que na corrida seria diferente? Corredor que faz musculação se sente melhor e tem menos lesões.

2) Ao longo do tempo o corpo perde naturalmente massa muscular e a musculação é uma forma comprovada de retardar esse processo.

3) Alguns corredores ainda pensam que a musculação os deixará mais lentos e pesados. Ledo engano! Em provas de fundo, tomando-se por base dois corredores de mesmo nível, chegará visivelmente menos cansado o mais forte.

 

4) A toda hora tem alguém para questionar dizendo que os quenianos são os melhores do mundo e não fazem musculação. Além de eles terem um talento natural muito em função da altitude em que vivem, eles são adeptos ao treinamento de força feito em terreno acidentado com subidas e outras dificuldades. Além disso, já existe uma corrente de treinadores que trabalha com quenianos que está se rendendo à musculação.

5) Nenhuma atividade física é completa e a corrida não é diferente. Além do gesto esportivo da corrida não trabalhar todos os músculos das pernas de modo equilibrado, ninguém corre absolutamente certinho, sem um desvio qualquer desde a coluna até as pernas. A musculação pode ser direcionada a corrigir essas falhas.

6) Correr e fazer musculação no mesmo programa, desde que as cargas sejam altas só para os braços e tronco e não para as pernas, não tem nenhum problema. Mesmo para as pernas, com cargas menores, não se recomenda mais de 20 repetições porque não melhora a resistência, que pode ser aumentada da maneira que o corredor gosta, correndo.

7) Quem faz musculação em dias separados da corrida não passa pelo risco de sobrecarregar a musculatura, seja ela qual for, porque a solicitação motora é diferente da corrida, e na verdade está havendo uma compensação e fortalecimento dos músculos da corrida.

 

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/materia/como-conciliar-corrida-com-musculacao/

Comente o que achou.

Clique aqui

 

POSSO MALHAR E CORRER?

SIM! DEVE!

 

LONGÃO: CORRER OU NÃO CORRER? EIS A QUESTÃO!

Os treinos longos são os mais desgastantes, mas, ao mesmo tempo, contribuem – e muito – para que a corredora consiga atingir a sua meta final. Esse tipo de sessão estimula a resistência aeróbia e é fundamental para quem pretende completar uma prova de corrida. “Para que os ganhos sejam mais eficientes, antes do treino indico dormir bem, tomar um café da manhã rico em carboidratos e ingerir 400 ml de água”, recomenda Gustavo Magliocca, diretor-médico da consultoria esportiva Run&Care.

Por exigirem demais, os chamados “longões” pedem um cuidado extra na hora da recuperação. Após o treino longo, é possível que você sinta dores musculares difusas, sensação de cansaço e sono. Por isso, a fase de regeneração é essencial para finalizar a supercompensação do treino, otimizando os ganhos de rendimento e proporcionando mais segurança.

 

Dicas importantes – Magliocca orienta que, logo após terminar a corrida, deve ser feito um trote de 10min em ritmo moderado. “A recuperação começa ainda no próprio treinamento. E é preciso seguir a orientação de um nutricionista para consumir carboidratos e talvez suplementos durante o treino longo”, indica Renato Dutra, supervisor técnico da assessoria esportiva Run&Fun.

Algumas técnicas também colaboram para a recuperação, como a crioterapia – que ameniza a inflamação dos músculos. Há duas maneiras de realizá-la: com a imersão em água gelada ou com sacos de gelo. A seguir, pode ser feita uma massagem para drenar os edemas e eliminar as toxinas.

As meias de compressão podem ser utilizadas para acelerar a regeneração muscular – principalmente das panturrilhas. Ao chegar em casa, deixar as pernas para cima (mais ou menos na altura do quadril) também pode trazer mais alívio.

 

E depois? – A recuperação pode durar de um a dois dias após o treino longo. Renato Dutra afirma que as corredoras mais experientes podem realizar um trote leve e curto no dia seguinte, enquanto as menos condicionadas devem preferir uma caminhada, pedalar em uma bike ou praticar natação em baixa intensidade. “Se a corredora tiver a sensação de pernas pesadas ou cansaço ao iniciar o treino, significa que ela ainda não está recuperada”, alerta o treinador.

“Depois do exercício, não fique por tempo prolongado em pé nem use salto alto. Além disso, exposição ao sol e ingestão de bebidas alcoólicas também não são recomendadas”, complementa Magliocca. A alimentação deve conter carboidratos de alto índice glicêmico e proteínas, bem como evitar gorduras.

 

Extraido de: http://www.suacorrida.com.br/treino-wrun/recuperacao-apos-treinos-longos/

Comente o que achou.

Clique aqui

Treinar, treinar e treinar... Correr, pular, saltar, levantar, empurrar... Tamanha exposição aplicada ao corpo faz com que ele sofra inúmeras pressões, sobrecargas e alterações químicas, favorecendo o surgimento lesões. Mas nem mesmo isso pode afirmar que esse ou aquele fator motivou o problema.

Além dos fatores que já conhecemos relacionados ao treinamento, como volume, intensidade, frequência, periodização, tipo do exercício e equipamentos temos também aos ligados a negligencia, habilidade, idade e aos que prefiro chamar de "EU AVISEI".

Uma pessoa que treina para correr 10 Km aos poucos perceberá que seus treinos, vez ou outra, vão superar essa quilometragem e quanto mais profissional ela for, mais vezes se colocará sobre esse estresse. Entenda “ESTRESSE” todo e qualquer atividade que é submetido o organismo se esperando uma resposta fisiológica, então no treinamento estressamos o organismo esperando uma resposta de melhoria física.

Fato: Estresse requer repouso adequado; quanto maior o estresse maior o repouso necessário para a recuperação. Ai que tá o X da questão... Boa parte das lesões surgem da não recuperação do estresse submetido aplicando-se uma nova carga sobre ele (pois é... EU AVISEI).

MITOS E VERDADES

Muita coisa que ouvimos nem sempre se aplica a nossa realidade por isso devem ser filtradas, porém, inconscientemente (ou conscientemente) temos a propensão de fazer e aceitar aquilo que queremos ouvir talvez então seja tão complicado em se corrigir ou sugerir intervenções na conduta viciada de alguns praticantes.

São associadas as seguintes lesões a pratica de corridas:

1. SÍNDROME DA BANDA ILIOTIBIAL – Geralmente causa dores na lateral do joelho. Causas: aumento exagerado do volume de treinos; usar tênis muito gastos; falta de força nos músculos abdutores; desalinhamento nos joelhos e nos tornozelos; encurtamento muscular nos membros inferiores;

2. FASCITE PLANTAR – Gera dores na sola. Causas: aumento exagerado no volume ou intensidade de treinos; uso de tênis gastos ou com pouco amortecimento; excesso de peso; pés chatos ou com pronação e supinação excessiva.

 

3. TENDINITE NO TENDÃO DE AQUILES – Inflamação no tendão que liga o músculo da panturrilha ao calcanhar. Causas: falta de repouso entre os treinos; aumento exagerado no volume ou intensidade do treinamento; excesso de peso; falta de força ou de alongamento na musculatura dos membros inferiores;

4. DISTENSÃO MUSCULAR – É o rompimento das fibras musculares, ocorre principalmente na panturrilha e nos músculos da coxa. Causas: sobrecarga nas atividades de alta intensidade; fadiga muscular; falta de flexibilidade; desequilíbrio de força muscular; postura incorreta durante a corrida; idade.

5. CONDROMALÁCIA PATELAR – Dor no joelho provocada pelo atrito entre o osso do fêmur e a patela. Causas: aumento excessivo do volume de treinos; correr sempre em pisos duros; falta de alongamento e fortalecimento muscular dos membros inferiores; excesso de peso.

Atletas e lesões sempre andaram juntos, pois inevitavelmente acontecerão na busca de melhores marcas e resultados, mas algumas lesões poderiam ser prevenidas ou evitadas se houvesse mais coerência por parte dos atletas, em especial os amadores, que põe muita emoção no lugar da razão na hora de treinar ou submeter-se a um estresse desnecessário.

Dica: Aceite as orientações profissionais! Pelo menos ouça! o CORPO É SEU! TENHA MAIS MATURIDADE ESPORTIVA. EVITE FICAR PARADO.

LESÕES E CORRIDA... PREVINE-SE?

Comente o que achou.

Clique aqui

 

O ano começou para aqueles que não vão esperar passar o carnaval para por seu bloco na rua, sendo assim planilhas e planilhas começam a surgir com o planejamento para o novo ano de quilometragens ou rodagens. Mas dessa vez, que tal fazer certo da primeira vez?

Há no mercado diversos tipos de serviços de assessoria, equipes de treino coletivo, inclusive os serviços “remotos” de acompanhamento dos treinos, que a meu ver devem ser levados com maior cuidado principalmente pelos iniciantes. Ou não acha que pelo menos seria interessante que o profissional visse e corrigisse o que você esta fazendo?

O erro que as academias permitiram acontecer nos últimos anos, o tal profissional virtual, gerou e gera consequências difíceis de serem revertidas, fato que tem tornado o ambiente das academias, de certa forma hostil ao profissional de educação física, haja vista que o professor YOUTUBE tem sido mais referencia que o estudo e a base cientifica do treinamento.

Um agravante: Olhando no FACEBOOK, nos grupos de WHATSAPP, percebemos esse crescente comércio, válido só que sem garantias ao maior interessado: o praticante leigo.

Não é de hoje que a atividade física é uma fonte digna de trabalho de bons e maus profissionais, mas se observarmos o lado administrativo e operacional dessa “empresa” de venda de facilidade remotas ela, como as operadoras de celulares, vendem bem, no entanto não atendem as reclamações que possivelmente virão.

É difícil não perceber as semelhanças desse comércio com qualquer outro tipo de venda a distancia, restando a você, grande interessado no produto, saber escolher aquele que fizer a melhor proposição de valor, ou seja, ter algo diferente dos demais.

 

Algumas dicas nessa escolha:

1 – Prefira os serviços que incluem a presença do profissional pelo menos algumas vezes por planilha;

2 – Evitem serviços de consultorias fora de sua região apenas pela “fama” delas, pois a distancia não permitirá um trabalho mais próximo a sua realidade;

3 – Escute (e também pergunte) a experiência de pessoas no mercado, pois é seu corpo que estará sendo trabalhado e exigido e não o dele;

4 – Camisetas, tendas, gelo, (...) não quer dizer que o trabalho do profissional seja bom, apenas que ele sabe bem vender seu produto. Isso são pontos positivos, mas não definitivos na escolha do profissional;

5 – Não fidelize! Espere ser conquistado pelo trabalho e profissionalismo do profissional

6 – Pergunte sobre a mecânica de sua marcha, sobre fisiologia do exercício, (...) os porquês deixam claro que o profissional se mantem atualizado sobre o que esta vendendo.

E... Vamos la!

Comente o que achou.

Clique aqui

 

QUE COMECEM OS TREINOS... COM QUEM?

O ano novo está chegando e, com ele, muita gente já está preparando a listinha de resoluções a cumprir a partir do dia 1º de janeiro de 2016. E se você é um corredor – ou pretende se tornar um após o Réveillon – é importante que tenha objetivos definidos dentro do esporte. “Estabelecer metas auxilia na elaboração de um planejamento coerente e direcionado ao que deseja alcançar”, explica Rogério Carvalho, head coach da assessoria esportiva Endurance Sports. Para o treinador, saber aonde quer chegar faz com que o atleta mantenha o foco e continue motivado ao longo do ano. Sem isso, o corredor acaba descomprometido com o treino e, consequentemente, não vê melhoras de desempenho. “A performance fica estagnada e, muitas vezes, o aluno chega a desistir do esporte por achar que não é capaz”, observa Rogério. Questionar a competência do treinador e a qualidade do treino quando, na verdade, é você que não sabe bem o que deseja também é comum.

Uma boa dica é ter, além de um objetivo principal, alguns pequenos desafios durante a preparação para a realização maior. “Metas de médio e curto prazo são importantes porque mantêm o atleta motivado e treinando constantemente, e acabam servindo como indicadores de desempenho”, comenta Rogério. Dessa forma, tanto o treinador quanto o aluno conseguem avaliar o rendimento na corrida ao longo do processo, fazer ajustes ou até mudar o planejamento e as estratégias de treinamento.

Definindo sua meta

“Em primeiro lugar, o ideal é que o atleta converse com seu treinador para determinar o objetivo de longo prazo, o grande desafio a ser superado”, diz Rogério. Feito isso, são criadas as metas intermediárias e, em seguida, o treinador elabora o planejamento da temporada e a periodização do treinamento”, fala o especialista.

Objetivos bem elaborados devem ser capazes de contemplar estes cinco quesitos, segundo Rogério Carvalho:

Especificidade

O treinamento para a conquista do seu objetivo deve ser feito sob medida para você, levando em consideração suas necessidades, limitações e pontos fortes, por exemplo.

Mensurabilidade

Correr 5 km, 10 km, 21 km ou 42 km? Emagrecer 5 kg, 10 kg, 15 kg ou mais? Saber aonde quer chegar facilita o trabalho para conseguir.

Possibilidade

Não adianta ter uma maratona como meta sem, ao menos, ter corrido uma prova de 5 km. Tenha objetivos possíveis de serem alcançados.

Relevância

O oposto também vale: estabeleça uma meta considerável – dentro da sua capacidade física, claro – para tornar a atividade mais desafiadora.

Prazo

Estabelecer uma data para a conclusão do objetivo é fundamental para a organização dos treinamentos.

 

TEXTO EXTRAÍDO DE:

http://www.suacorrida.com.br/treino-finisher/defina-suas-metas-de-corrida-para-voar-em-2016/

Comente o que achou.

Clique aqui

HORA DE PENSAR EM 2016?

O QUE POR NO PAPEL?

 

Como fazer para romper a inércia que aprendemos a chamar de sedentarismo? Como seria ou motivaria o primeiro passo?

Temos tantas justificativas que às vezes não percebemos a criatividade que possuímos para inventar razões para nada fazer. Sim! É verdade que o dia atarefado e os poucos momentos de descanso nos motivam a não querer fazer nada, abraçar o travesseiro e ZZZZ (...) ou aproveitar o tempo livre para conhecer lugares, pessoas, festas, etc. Mas para isso é preciso eleger prioridades.

Como diz um colega, “ninguém precisa abdicar do BACON para viver comer a partir de agora PEIXE CRU”. Mudanças nem sempre precisam de tanta radicalidade, mas alguma coisa deve ser feita ainda hoje.

Vamos tentar apontar algumas situações que percebemos e que devem se observadas no projeto “SAINDO DO SOFÁ”;

1 – NÃO COMECE DE TRAS PRA FRENTE

Muita gente quando resolve mudar uma atividade tende a começar do fim para o começo, ou seja, fazem investimentos altos na compra de materiais esportivos e da moda, mas esquecem de reservar o tempo para que a atividade aconteça. Seja frequente! Ganhe gosto, aí sim faça maiores investimentos. Essa regra também é válida para o uso de suplementação ok?

2 – NÃO PASSE FOME

Boa parte das tentativas de mudança de hábitos acaba sendo frustrada em virtude do organismo necessitar de alimento e não ter. Pouco é produtivo para quem começa uma atividade física impor ao seu corpo exigências físicas sem que haja uma alimentação, pelo menos de manutenção, para que esta aconteça.

Nutricionistas não mordem ou são bruxos (as) s e nem personagens de filmes de terror, portanto não é preciso ter medo de procurar esse profissional desde o começo para que seja paulatinamente apresentado uma coisa vital chamada REEDUCAÇÃO ALIMENTAR.

3 – COMECE DEVAGAR. RESPEITE SEUS LIMITES

Esse projeto de vida saudável não pode ser apenas para um verão ou um determinado momento. Não adianta fazer loucuras como revestir o abdome com plástico ou por agasalho e correr meio dia (já vi muito disso), pois talvez se ainda não percebeu, seu maior patrimônio é sua vida e ela merece ser tratada de forma consciente.

Não pode correr? Nade! Não sabe nadar, que tal hidroginástica? Esta gordinho (a)? Pedale! Não tem folego? Ande, engatinhe,...

 

4 – VÁ AO MÉDICO. TRABALHE COM ESPECIALISTAS.

Engraçado como o GOOGLE e o YOUTUBE tornaram as pessoas especialistas em tudo. Hoje se prescreve exercícios, se gasta muito em vestimentas (pra postar no FACE e INSTAGRAM) e alimentação diferenciada, mas quando pedimos que a pessoa faça um checkup antes temos a resposta: -“É MUITO CARO”.

Caro é um tênis de quase mil reais sem necessidade ou uma calça de compressão de duzentos; caro é pagar quinhentos reais por mês de suplementos e alimentação cheia de ovos e batata doce e sucos “DETOX”...

O iniciante precisa entender que antes de ser tornar um atleta ou um “viciado” por corridas, pedais, endorfinas, (...), ele precisa deixar a inércia e como diz o mecânico do meu carro: “ – DR! Antes de sair pra uma viagem, faça um checkup”.

5 – TRABALHE COM GENTE SÉRIA

Minha paciência ferve quando perguntamos algo a um profissional e ele responde tudo menos o que perguntamos. Claro que ninguém sabe tudo (talvez nem o GOOGLE saiba), mas trabalhar com profissionais “IÉIÉ ou UHUUUU” não é pra mim!

Passar séries é fácil, difícil é te convencer cientificamente pra que aquilo serve! Profissionais que nem sabem nem o nome dos músculos, pois decorou o nome dos aparelhos e movimentos. Dica: numa empresa séria os estagiários não assinam relatórios sem que alguém responsável o faça ok?

Leve a sério!

Comente o que achou.

Clique aqui

VAMOS COMEÇAR? SAINDO DO SOFÁ HOJE!

 

Correr TRAIL talvez seja uma das modalidades de corrida que mais crescem ou despertem a curiosidade das pessoas. Um iniciante nesta modalidade precisa ter alguns cuidados inerentes a modalidade. Então iniciante siga esses conselhos

TENHA CALMA!

Esse tipo de esporte requer adaptações fisiológicas além das aeróbias. A irregularidade do terreno (inclinação, desníveis, forma) requer que as articulações tenham a capacidade de se localizar e rapidamente se reposicionar mediante as situações que surgem. Sim! Correr em trilha não é facil´.

Quem esta acostumado com o asfalto está acostumado com o tipo de grip ou agarre que os calçados exercem sobre esse piso. As ações de ação e reação poderão não ter a mesma eficiência no piso de terra pelo fato que este se desloque ao serem tracionadas. O tempo também tem que ser justo com a própria musculatura que é demasiadamente exigida no processo de estabilidade articular.

SUBIDAS E DESCIDAS

Alguns acham que subir é um verdadeiro suplicio. Dores lombares, musculatura cansada, dores pós-execução, mas quem não curte as subidas deveria entender um problema chamado descida.

Em TRAIL é muito importante treinar as descidas. Nas descidas os músculos fazem um movimento de contração excêntrica (controlam a execução do movimento), sendo mais agressivas para os músculos e tendões, e podem mesmo entrar em sobrecarga. Para evitar este tipo de sobrecarga de esforço e acelerar a recuperação, é fundamental que faça treinos.

ESCOLHA O PERCURSO E A DISTANCIA

Não é frescura, mas algo que pode trazer boas ou más lembranças para o iniciante. Circuitos com alto grau de dificuldade ou com distâncias muito grandes no início, pois elas podem despertar a vontade de nunca mais fazer. Claro que se não houver nenhuma dificuldade não haverá aquela sensação prazerosa de dever cumprido ou de luta, mas também não precisamos começar a ser alpinista pelo Everest.

 

RESPONSABILIDADE COM SEU CORPO

É preciso sim investir em materiais tecnológicos como meias de compressão, tênis adequados ao terreno, meias de qualidade, mas qual seria a importância disso tudo sem que hidratação e reposição de energia sejam pensadas.

Sabemos que a maioria dos amantes do TRAIL não tem equipes ou competem profissionalmente, portanto leve em conta a estrutura do evento e nos pormenores da sua performance sabendo que provas de fora de estrada são longas e exigentes em termos físicos. O descaso com essa situação poderá ser sentido na não conclusão da prova ou na recuperação pós-evento.

REGISTRE

Se é iniciante, melhor que alimentar uma expectativa de um belo resultado ou posição, é poder contar a todos o que de bom pode presenciar. Por acaso você ainda acha que a maioria das pessoas que participam da maratona esperam resultados em meio a tantos locais a serem vistos?

Não deixe de ter a curiosidade, apenas se prepare!

Comente o que achou.

Clique aqui

TRAIL RUNNING: VOCÊ INVENTA O CAMINHO

 

Já mencionamos aqui diversas vezes a importância do atleta amador comportar-se como profissional no que tange a proteção e prevenção de lesões desnecessárias. Pontuamos sobre os novos hábitos que devem substituir os vícios e a aceitação de uma nova rotina, mas... NEM TODOS GOSTAM DE OUVIR.

Ser atleta não é barato, pois até mesmo a corrida de rua ou pedalar que, no primeiro pensar, por usam espaços comuns e públicos, não teriam tantos gastos, ao por na ponta do lápis percebemos que valores de inscrição, transporte, alimentação diferenciada, academia, pagamento de profissionais, materiais esportivos (...) acabam consumindo valores substanciais, no entanto, alguns gastos deveriam ser feitos (e encarados) como investimento. E são justamente esses que muitas vezes são deixados de lado.

Encare esse fato: Quem tem mais de quarenta anos ou, mesmo menos que isso, e está entrando numa atividade física após muito tempo de ócio esportivo, deve por na sua lista de prioridades um eletrocardiograma, hemograma completo e teste ergométrico.

O cardiologista Bruno Valdigem observa que “de forma completa, o mais indicado é incluir anamnese, histórico familiar e pessoal, exame físico, eletrocardiograma e um Screening. Dessa forma, teremos uma avaliação muito mais detalhada”. O teste de Screening (rastreamento) é um dos mais indicados para atletas de alta performance, pois pode identificar doenças não reconhecidas ou pronunciadas anteriormente, em pacientes assintomáticos.

 

Não para por ai... Além de todos esses exames que indicarão a qualidade que me encontro internamente e, que possivelmente poderão explicar a minha queda de rendimento (caso tenha sido esse motivo do check up), ainda restará observar outros pontos, que por muitos não é observado – a situação odontológica.

Segundo Dr. Gustavo Ferreira, odontólogo, as inflamações e infecções presentes na boca podem “contribuir diretamente para a ocorrência de alterações sanguíneas, LESÕES MUSCULARES ou esqueléticas, problemas cardíacos, entre outros”.

Foi observado que LESÕES MUSCULARES REPETIDAS podem ter uma forte influencia de problemas bucais mal tratados, fato esse associado que as bactérias bucais percorrem a corrente sanguínea e que o processo inflamatório local teria uma forte influencia sobre a velocidade de cicatrização e cura das lesões musculoesqueléticas.

Percebe que ser atleta é levar a sério?

 

Fonte: http://www.revdesportiva.pt/files/PDFs_site_2013/2_Mar/Rev_20_P25_27_Tema2_Analises_Laboratoriais_site.pdf

RESULTADOS CLÍNICOS PARA VOAR MAIS RÁPIDO

 

Comente o que achou.

Clique aqui

 

CORREDORES FORTES E VELOZES

Muitas vezes o encanto de correr, da estrada, das infinitas pedaladas, da paisagem (...) acabam ganhando um cunho competitivo, são somente pelas medalhas, mas contra o relógio buscando um melhor desempenho. Para isso a idade não é o limitante e sim a coragem e a busca do enfrentamento.

Pessoas naturalmente competitivas são assim: não basta somente fazer a atividade, temos que explorar os limites. Pra você que tem esse perfil que tal nas janelas adequadas do treinamento investir em treinamento de força?

Estudos relacionados a treinamento desportivo nunca desmerecem a valência física FORÇA. É de certa forma inconcebível imaginar resultados e performance sem que haja uma mudança física estrutural que suporte as exigências as quais o corpo será submetido. Não adianta ficar só nas ruas pedalando ou correndo, se quer fazer algo com maior eficiência terá que investir nos exercícios localizados.

Qual seria a solução? Divida seu treino em dois momentos – um físico e outro cardio.

Nos treinos físicos deve ser observado em que momento da sua planilha você se encontra para que as valências físicas trabalhadas não entrem em choque, por exemplo, não é muito interessante e nem seguro trabalhar força máxima na academia se no dia anterior trabalhou séries de VO2 máximo!

Na musculação ou no treino funcional o foco estará concentrado no ganho de instabilidade das articulações e no fortalecimento das articulações mais exigidas como joelho, tornozelo, quadril e tronco. No treino funcional a postura e o posicionamento enquanto realiza o exercício deverão ser os mais exigidos.

 

"Sem mais medo da ladeiras"

QUERO EMAGRECER... E AGORA?

O site O2 POR MUNUTO nos apresenta aos aparelhos mais comuns de academia usados por corredores e ciclistas. Veja que são sugestões, mas em via de regra, consulte o professor de sua academia para que indique o que seria mais adequado a sua realidade.

Leg Press

Sentado na cadeira de leg press, posicione seus pés formando um ângulo de 90º em relação ao solo.

Agachamento

Com as pernas paralelas e abertas na largura dos ombros, coloque a barra apoiada nas costas, flexione os joelhos até formar um ângulo de 90° em relação ao solo e volte à posição inicial sem esticar os joelhos.

Levantamento Terra

Para realizar o exercício, fique posicionado diante da barra, com os pés alinhados aos ombros, flexione os joelhos e segure a barra com abertura um pouco maior do que a largura dos ombros. A pegada usada aqui é a mista, sendo que uma das mãos deve estar em pronação e a outra em supinação, impedindo o rolamento da barra e aliviando a tensão sobre as articulações das mãos.

Afundo

Segurando um halter em cada mão e com as pernas paralelas, dê um passo à frente, flexionando o joelho até que ele forme um ângulo de 90° em relação ao solo. Volte à posição inicial e repita o movimento com a outra perna.

 

Fonte: http://o2porminuto.ativo.com/corrida-de-rua/treinamento/treino-de-forca-para-ganhar-velocidade/

Comente o que achou.

Clique aqui

Um dos grandes motivos que nos levam a praticar uma atividade física de forma constante e orientada é a busca pelo peso que um dia tivemos. A nossa nova forma, os filhos que nasceram, a forma que me alimentei ou regime de trabalho acabaram “conspirando” para os quilinhos a mais que hoje, já não são necessários. Percebo então que ganhar foi muito mais fácil que perder, e agora?

Um projeto verão inicia no inverno e não somente quando compro as passagens aéreas, portanto, se espera algo de diferente (e visível) é preciso começar hoje e de forma consistente. Antes de tudo façamos um acordo: Sem facilidades ok?

Resultados estão ligados a esforço e persistência e sem eles em mente é melhor que nem se comece para que os efeitos sanfona não piorem a situação. Então vamos lá, coragem!

Alguns métodos são utilizados, com eficiência, para conseguir o resultado. Eleja um ou dois mais coerentes a sua realidade e capacidade física, planifique seus dias de treino e siga a risca.

 

  • ATIVIDADE FÍSICA CONTÍNUA E DE BAIXA INTENSIDADE

Esse é o método com mais estudos publicados e cuja eficiência é notoriamente comprovada. Aqui estão as caminhadas, a natação, hidroginástica, aulas de academia, pedalar, (...), todas as atividades que de forma repetida ou cíclica que pouco interessa o peso e sim o tempo que se permanece em atividade de forma contínua.

Já percebeu algo? O grande ponto frágil desse modelo está nos intervalos, visto que deveriam ser pequenos ou ativos, mas o que mais vemos são pessoas fazendo justamente o contrário: muito falatório e pouca ação. Emagrecer requer foco! Claro que não precisa ficar antissocial, mas por esse método, intervalos fazendo algo (intervalo ativo), são a chave do sucesso.

Fatos:

  1. O foco do Pilates não é o emagrecimento;

  2. Pessoas sedentárias devem obrigatoriamente começar por esse! É muito mais seguro!

  • ATIVIDADE FÍSICA DE MÉDIA INTENSIDADE E DE FORMA CONTÍNUA

Chegamos agora no campo das corridas, pedalar (spinning e longões), lutas, treinamentos funcionais. Aqui é preciso ser além de focado, bem corajoso (a). Exercícios de média intensidade requerem mais tempo e menos faltas. Não dá pra justificar o frio, a chuva, (...). Aqui o professor vai gritar: “NO PIN NO GAIN”, sem MI MI MI! Se ainda não está com essa coragem toda, fique no anterior!

Perceba que não classifiquei a musculação aqui e nem no anterior, pois ela pode estar em ambos dependendo da intensidade e da seriedade do aluno em respeitar os treinos (e do professor / personal também)

  • VAMOS AGORA A TODA INTENSIDADE...

Modelos recentes de trabalho que visam o emagrescimento tem investido no que no nordeste chamamos de “ir pro bagaço”. São as aulas de alta intensidade no entanto curtas. Nesses treinamentos, muito populares na internet, o aluno deve entender que o negócio é sério e funciona à medida que se ponha 100% de comprometimento. Aqui aparecem a ZUMBA, CROSSFIT e os modelos similares do HIIT.

Esses treinos prometem queimar “quase 10% mais calorias, durante as 24 horas seguintes do final do treino, quando comparados a aqueles que realizaram exercícios aeróbicos constantes”. Mas a intensidade tem seu preço pelo aumento considerável do número de lesões.

Uma coisa todos os modelos se entendem: não dá certo sem fechar a BOCA!

Fica a nossa dica:

  1. Vá ao médico;

  2. Escolha o modelo que melhor lhe atrai;

  3. Seja regular

O resultado virá à medida que sua frequência for bem maior que as faltas.

Comente o que achou.

Clique aqui

 

Nem todos tem a oportunidade de treinar olhando para paisagens belas como o mar, um parque ou o nascer do sol, restando o sadio e protegido “confinamento” das academias. Elas são diversas e tem as mais variadas estruturas para melhor encantar (seduzir) e fidelizar seus clientes. Estruturas que muitas vezes “chocam” com o que as pessoas acreditam ser a verdade.

ROUPAS

As pessoas me intrigam bastante nesse quesito. É claro que as academias são centros de convivência e de socialização que vão além das maquinas e aulas, que existe sim o componente da busca da beleza também no vestuário de apresentação. Roupas que favorecem ser vistas e muitas vezes nem tanto funcionais.

A beleza deve se reder ao que é funcional. A pele deve respirar e permitir que o corpo não sobreaqueça com a atividade física, exceto se o que o (a) leva à academia seja o fato de ser notado (a). Lembro-me de uma atriz da globo que numa novela apareceu com umas meias (tipo polainas dos anos 80) e que virou febre. Não sabe pra que serve? Nem eu! O mais correto seria optar por roupas largas e fresquinhas e sempre use tênis e meias, mas (...) a gente entende!

 

TEMPERATURA

Em locais muito quentes e com umidades externas muito baixas é realmente interessante rever os horários da prática da atividade. Se você não é um profissional do esporte que muitas vezes precisa treinar em condições adversas, recomendo que busque temperaturas mais amenas evitando mal estar e lesões.

SABER COMER É DIFERENTE DE JEJUM

Não é o fato de se alimentar direito e de forma saudável que está impedido que você perca peso na velocidade que deseja. Não culpe o jantar pela barriguinha que adquiriu em longos anos vivendo como sedentário.

QUAL É O PROBLEMA COM O VENTILADOR?

Nem toda academia precisa de ventilação artificial em vista o local ou região do país desde que seja ventilada, mas aqui no centro oeste é comum (e necessário) ver aparelhos de ar condicionado e ventiladores ligados para tentar amenizar a temperatura.

Especialistas deixam claro que o aumento exagerado da temperatura interna do corpo pode gerar desde mal estar à comprometer seriamente a sua saúde sendo assim necessário atenção aos sinais de que o tempo está ficando muito quente para seu corpo: cãibras nas pernas e no abdômen, braços e pernas latejando e náuseas são os primeiros sinais de que algo não vai bem. Mas, se isso é ruim porque o povo desliga a ventilação para se exercitar?

Academia não é sauna e isso NÃO A (O) FARÁ EMAGRECER e sim desidratar mais rápido. Sem ventilação a temperatura não abaixa e se a roupa não for adequada temos uma bomba relógio! Isso por que não quero falar daqueles que cobrem partes do corpo com plástico ou papel filme na esperança de reduzir medidas.

Trabalhe sério! Não se iluda com medidas corporais FAKE! Pesar ou medir-se pós-aula só representará o quanto perdeu de ÁGUA naquele período e assim que se reidratar a verdade virá à tona. Não minta pra si mesmo! Corpos belos surgem do trabalho repetido ou da mão de talentosos cirurgiões plásticos, SÓ QUE um deles dura mais tempo, a escolha sempre será sua.

Curta a academia como um ótimo espaço de convivência e motivacional. Saber o que quer é bem melhor que seguir passos de alguém por uma tendência ou porque disseram ser bom.

ACADEMIA: MITOS X MODA

Comente o que achou.

Clique aqui

ORIENTAÇÃO
ORIENTAÇÃO
press to zoom
PLANO
PLANO
press to zoom
CALOR
CALOR
press to zoom
FOCO
FOCO
press to zoom
PESOS
PESOS
press to zoom
FORÇA
FORÇA
press to zoom
 
 

O TREINO PODE (E DEVE) TER A “SUA CARA”

O mercado da saúde e bem estar está em crescente expansão e com eles métodos e modelos de administração de empresas, que visam atrair e também fidelizar os clientes, mas o que me preocupa é que, agindo como empresa e naturalmente visando lucro, tende, ao longo do tempo, perder em qualidade de serviço ou a venda de estereótipos desnecessários.

Repare nessa afirmação sobre um determinado contexto: “a fabricação industrial da cultura e a existência de um mercado mundial exigem uma padronização dos produtos, onde a corporação global, a um baixo custo, opera em todo mundo como se ele fosse uma entidade singular; ela vende as mesmas coisas, e da mesma maneira em todos os lugares” (ORTIZ, 2000, p. 32).

A grande sacada de uma grande empresa de produtos eletrônicos foi por na cabeça das pessoas que elas precisavam ter o seu produto, pois era revolucionário e que tê-lo representaria, aos olhos da sociedade, que você está “antenado” ou inserido no que há de mais moderno e atual (blá, blá, blá)... As peças do tal produto, 90% são produzidas pela maior concorrente dele. Compramos uma marca e não o que seria melhor para nós.

O mercado personalizado deveria ser PERSONALIZADO e não o que esta aos poucos se transformando. Todo mundo hoje se diz PERSONAL “alguma coisa”, mas na verdade vendem fórmulas fabricadas e esgotadas nos estados unidos e europa como novidade. E o pior é que compramos como algo personalizado.

Quem tem “pago o pato” é o PERSONAL de fato (EDUCADOR FÍSICO, NUTRICIONISTA, PSICOLOGO, FISIOTERAPEUTA,...), profissional liberal que apresenta um produto mais orientado e adequado a sua realidade e que, por ser mais direcionado, precisa ser melhor remunerado para que justifique o número reduzido de clientes.

FÓRMULAS SIMPLES: UM “UP” NA FORÇA DE VONTADE.

FISIO
FISIO
press to zoom
NUTRIÇÃO
NUTRIÇÃO
press to zoom
press to zoom
EDF
EDF
press to zoom
FOCO
FOCO
press to zoom
RESULTADO
RESULTADO
press to zoom

Não dá mais pra acreditar que a academia A ou B (ou qualquer empresa de fitness) só tem personais se eles trabalham com você (e mais um milhão) numa planilha idêntica em pesos, séries, objetivos, intervalos... Aparelhos e Grupamentos podem ser similares, mas necessidades podem divergir em muito. Personalização em pequenos grupos também é possível e rende resultados, mas não aceite pagar “personalização” com grupos “chineses” (imensos).

Como na lida com o consumidor é proibida a tal venda casada (quando lhe induz a comprar outro produto) que falar da venda indireta de produtos (inclusive esses shakes cujo o foco era outro) e serviços?

Quer comprar um suplemento? Procure uma EMPRESA SÉRIA (reconhecida e responsável) ou um ESPECIALISTA (nutricionista ou o nutrólogo). Comprar pela internet (os tais “venda aqui”) ou na porta da academia não garante procedência, responsabilidades ou benefícios. Vamos parar de comprar facilidades! O barato (ou o caro demais) nem sempre é um bom negócio. Quando quero saber como anda a saúde do meu coração procuro o cardiologista e não o clínico geral ou tão pouco o GOOGLE.

Empresas sérias e profissionais sérios existem aos montes (graças a Deus), mas ficam desprestigiados em meio a um crescente mercado competitivo que não se importa muito com a ética e sim com cifrões.

Fica uma dica para os bons profissionais: MOVAM-SE! O mercado mesmo em crise ainda é receptivo ao bom profissional. Apareça! Seja visto! Nossa profissão e nosso trabalho precisam ser reconhecidos e não mais depreciados.

Comente o que achou.

Clique aqui

É costumeiro antes de começar uma atividade buscar por informações relacionadas ao que se deseja, ainda mais hoje quando mudamos a paternidade da sabedoria do dicionário para o GOOGLE.

Experimente abrir a página desse ambiente de busca e começar a escrever uma pergunta. Antes mesmo de terminar seu questionamento perceberá que a pergunta já estará lá, ou seja, você não é o único (a) com essa dúvida.

Então vamos ai com as perguntas comuns que os PERSONAIS ouvem:

 

COMO FAÇO PARA EMAGRECER RÁPIDO?

Nossa vontade seria dizer: LEVE A SERIO, mas a andragogia (estudo do ensino voltado para os adultos) nos pondera a dizer:

 

  • Reveja como conduz sua alimentação, sono e ansiedade;

  • Ponha uma atividade física regular na sua vida pelo menos quatro vezes por semana;

  • Reduza a ingestão de alcoólicos;

  • Hidrate-se.

 

ABDOMINAL PERDE BARRIGA?

Dados demonstram que após a segunda metade dos vinte anos temos uma tendência natural a acumular cerca de 2 a 3 quilos anualmente, então imaginando isso numa PA (progressão aritmética), consegue ainda se ver magrinha (o) com quarenta anos?

A resposta é Sim e Não! O Abdominal que você lembra da escola irá no máximo tornar seus músculos abdominais mais fortes (isso é ótimo) ajudando na postura e na redução das dores lombares. O que de fato fará perder sua barriga será:

  • Correr;

  • Pedalar (Spinning vale viu?);

  • Nadar;

  • Andar;

  • Cross fit

  • Pular corda.

Obs. Não elenquei DANÇAR, pois não costumamos ver (além do professor e dos profissionais) alguém que dance mais que três vezes por semana salsa, merengue e zumba

 

QUAL É O MELHOR HORÁRIO PARA MALHAR?

Para quem já tem o hábito a melhor resposta seria qualquer hora, mas para quem pretende dar um pontapé inicial na troca de rotina eu sugiro QUALQUER HORÁRIO, desde que seja FIEL e FREQUENTE.

 

É COMUM EMAGRECER RÁPIDO E LOGO EM SEGUIDA GANHAR PESO?

A medida que a atividade física consome minhas reservas de gordura é natural a perca de peso, pois menos gordura é igual a menos peso, no entanto ao se desenvolver a musculatura (hipertrofia), ela passa a representar maior proporcionalidade no peso geral, então mais musculatura é igual a acréscimo de peso visível na balança do banheiro.

A escolha da modalidade e do incremento muscular que ela irá proporcionar tem relação direta com essa pergunta. Caminhar ou CROSS FIT? Qual irá acrescentar peso a sua meta de emagrecer? Se a balança é seu norte, acredito que deveria repensar a musculação de intensidade. Se não tenho problema com o peso e sim com as medidas e a flacidez, sim, ai teremos ótimos resultados fazendo qualquer um deles.

Comente o que achou.

Clique aqui

 

Planificação de treinamentos: Importante para não se acomodar......

É comum em atletas de elite no período de férias ou entre macrociclos olímpicos praticando modalidades desportivas bem diferentes das que os consagraram. Skatistas surfando ou tentado jogar bola, judocas fazendo corridas de aventura, automobilistas jogando golfe...

A antiga escola atlética dizia que um grande campeão nas férias deveria “carregar pedras” até o novo desafio, mas hoje percebe-se (e também pelas pesquisas) que o desconforto e o estresse gerado pelas horas e horas de treino podem trazer mais malefícios a longo prazo que poderíamos mensurar.

Diversificar a rotina de treino é importante, por duas razões principais: (1) evitar o tédio, a rotina e, assim, aumentar a adesão ao exercício, (2) evitar a estagnação no desempenho e, consequentemente, nos resultados.

Ainda tem dúvidas no que você pode ganhar com a possibilidade de variar a rotina de exercício? Tem mais! Variar sua rotina de treino pode ajudar a mantê-lo mentalmente e fisicamente desafiando-se e envolvido.

Ao gastar seus tênis durante a semana, como qualquer um, será inevitável (cedo ou tarde) que o tédio e a preguiça nos alcancem, portanto os esportes cíclicos (ou repetitivos) relacionados a pedalar, nadar, correr, musculação (...) precisam em um dado momento, que um profissional aplique ou promova essa variação visando a quebra da rotina e da homeostase.

 

HOMEOSTASE?

Se um dia você ficar animado (a) e começar uma atividade regular, perceberá que após as adaptações fisiológicas iniciais, seu organismo e musculatura irão se habituar. Esse “acomodar” fisiológico chama-se homeostase. Quem busca desempenho e melhores resultados deve “fugir” do comum.

Um porém:

Somente um profissional responsável poderá com propriedade discernir o número de repetições, séries, frequência diária e semanal de treino; tempo de duração da sessão; carga dos exercícios (kg); velocidade de execução, intervalos, pausas entre as séries e métodos de treinamento... Então cuidado com os vídeos do YOUTUBE, que apesar de estarem muitas vezes certos, não tem o feeling do que esta acontecendo com você enquanto se exercita.

Diga-se de passagem, o que tem de gente replicando vídeo de internet em seus treinos sem nenhuma responsabilidade. Uma pena! E pior que “ensinam” outros a fazer o errado tentando virar a Gracyanne Barbosa.

 

Leitura interessante:

http://www.isaudebahia.com.br/noticias/detalhe/noticia/variar-a-rotina-de-treino-traz-vantagens/

Comente o que achou.

Clique aqui

 
 

ATIVIDADE FÍSICA NA GESTAÇÃO: BEM VINDA COM ORIENTAÇÃO

Há um bom tempo a gravidez deixou de ser vista como “doença” e sim um período de transformações que culminam com o nascimento. Hoje as gestantes têm cada vez mais conduzido suas gestações de forma mais ativa e saudável, proporcionando um retorno mais rápido a forma física pré-gestacional. São quase atletas.

Orientadas, e sobre forte pesquisa cientifica, elas tem mantido um programa adaptado de manutenção com exercícios de intensidade moderada durante uma gravidez, e contra ao que pensavam antigamente, ao invés de complicar, proporcionam inúmeros benefícios visíveis e invisíveis para a saúde da mulher.

Conta indicações relativas

Por que são “relativas”? Porque se leva em conta o tempo gestacional, carga, riscos e acompanhamento especializado.

Os exercícios resistidos de intensidade leve a moderada, por exemplo, podem promover melhora na resistência e flexibilidade muscular, sem aumento no risco de lesões, complicações na gestação ou relativas ao peso do feto ao nascer. Tem como benefícios diretos a melhoria na capacidade de suportar o aumento de peso e atenua as alterações posturais decorrentes e inerentes a esse período.

Sempre indicado

A atividade física aeróbia e os exercícios ligados a alongamentos passivos agem de forma significativa no controle do peso, manutenção do condicionamento e na prevenção de vícios posturais. Segundo artigo, agem de forma efetiva sobre os “riscos de diabetes gestacional, condição que afeta 5% das gestantes”. Grandes grupos musculares, quando estão ativos, proporcionam um efeito fisiológico de melhoria da sensibilidade à insulina. Isso é ótimo!

Barca furada

Pesquisas revelam que as mudanças nos níveis de glicose são muito sensíveis ao tipo, intensidade e duração do exercício, assim como a condição física do indivíduo. O exercício extenuante e prolongado pode induzir a hipoglicemia (queda na quantidade absorvida pelo organismo) mais rapidamente durante a gravidez e essa resposta hipoglicêmica observada principalmente no terceiro trimestre (sexto ao nono mês) que pode ter potencialmente efeitos adversos sobre o feto.

ALONGUE
ALONGUE
press to zoom
RESPIRE
RESPIRE
press to zoom
CURTA
CURTA
press to zoom
RELAXE
RELAXE
press to zoom
FORÇA
FORÇA
press to zoom
GESTANTE
GESTANTE
press to zoom

Entenda atividade física extenuante toda função física que visivelmente impeça a gestante de conseguir falar enquanto faz a atividade, portanto, não necessariamente é algo muito intenso e sim intenso para ela. Fica a dica!

Conforme, o Sports Medicine Austrália temos as seguintes recomendações gerais:

  • Grávidas já ativas, manter os exercícios aeróbios em intensidade moderada durante a gravidez;

  • Evitar treinos em frequência cardíaca acima de 140 bpm. Exercitar-se três a quatro vezes por semana por 20 a 30 minutos;

  • Exercícios resistidos devem ser moderados. Evitar as contrações isométricas máximas;

  • Evitar exercícios na posição supina; (barriga pra cima);

  • Evitar exercícios em ambientes quentes e piscinas muito aquecidas; em especial que possuem pressão arterial descompensada;

  • Desde que se consuma uma quantidade adequada de calorias, exercício e amamentação são compatíveis;

  • Interromper imediatamente a prática esportiva se surgirem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangramento vaginal, tontura, náusea ou vômito, palpitações e distúrbios visuais;

  • Tudo pode variar e se restringir em gravidez de risco.

Atividade física na gravidez, nunca sem acompanhamento orientado e especializado.

 

Leia mais em:

http://www.scielo.br/pdf/rbr/v45n3/v45n3a19.pdf

http://files.adrianobelem.webnode.com.br/200000135-227e323781/atividade-fisica-e-esportiva-na-gravidez.pdf

Comente o que achou.

Clique aqui

suor.jpg
suor.jpg
press to zoom
levantar.jpg
levantar.jpg
press to zoom
força.jpg
força.jpg
press to zoom
crossfit.jpg
crossfit.jpg
press to zoom
corda.jpg
corda.jpg
press to zoom
agachar.jpg
agachar.jpg
press to zoom

Como tudo que vem com o modismo, igual as ofertas e pulos sobre as ondas das praias no fim de ano, o CrossFit tem ótimas intenções explorando um nicho repletas de expectativas e esperanças de resultados.

Ele foge o habitual, mas não é tão novo assim. O modelo criado a partir de uma sequencia (lógica ou não) de exercícios de avançar, saltar, abaixar e arremessar (...) realizados muitas vezes em ritmo acelerado ou frenético, contagia cada vez mais adeptos e nos faz perguntar: até onde é seguro?

É evidente que os que trabalham com a modalidade só pontuam os benefícios desse namoro, e também “compreensível” que os que perdem clientes para esse modelo, se dediquem tanto a espalhar o medo sobre riscos e consequências. E no fim, quem está certo? OS DOIS!

Cientificamente não há pesquisas suficientes que nos deixem seguros que o método trás benefícios mais rápidos que os demais, no entanto, observando os corpos e composição corporal dos participantes, percebe-se VISIVELMENTE que funciona. Claro que não é nada comum ver pessoas pulando sobre pneus ou “plantando bananeiras” numa parede, mas é esse diferente que provoca a curiosidade e representa seu melhor marketing.

 

Gostaria de apontar algumas coisas que poderão ajudar tanto professores quanto alunos, na planificação dos resultados.

 

  • Turmas iniciantes devem ser diferentes das destinadas aos avançados (fato sem questionamento);

  • Todo professor deve ter noções avançadas de primeiros socorros, pois fatalidades não respeitam bem os melhores laudos médicos;

  • Por ser uma modalidade intensa, a hipertermia (aumento da temperatura) e a qualidade da hidratação devem ser levadas em consideração;

  • Altas intensidades de exercício aumentam os riscos de complicações renais, que são potencializadas com o uso desordenado e desorientado de suplementos alimentares;

  • A musculatura irá responder ao treinamento tornando o praticante cada vez mais adaptado ao estresse fisiológico. Sinais de hipertrofia serão visíveis, corpos belos serão esculpidos, mas na mesma proporção surgem os riscos de lesão de articulações (em especial joelhos, coluna e ombros);

  • Deve ser respeitada a proporcionalidade (e tempo de treinamento) da massa levantada com a do atleta que a realiza. Isso não é frescura e nem fere as diretrizes do Crossfit (NO PAIN NO GAIN). Menos massa muscular não levantará COM SEGURANÇA um pneu de trator.

  • Monitorar os afastamentos ou os turistas de treino. Academias e professores responsáveis devem monitorar quando seus alunos passarem algum tempo sem aparecer e quando estes regressarem (superior a 15 dias), aplicar nova avaliação ou entrevista; Deixe claro que é para a segurança deles.

O Crossfit veio pra ficar e se deixar de ser febre ganhará outro nome mais legal e vendável, com princípios parecidos, mas com fachada diferente. Seus praticantes além de força, velocidade, agilidade, (...) devem ser mais exigentes quanto à segurança e a qualificação dos profissionais que ministram os treinos.

É chato ver (não só no CrossFit) as pessoas com hiper lordoses visíveis (aumento da curvatura lombar) fazendo agachamentos abissais sem proteção ou supervisão adequada ou ausência de exercícios compensatórios (fora a influencia negativa do cansaço natural provocado pelas repetições e a falta de postura). Se o profissional que ler esse artigo não entender, ou fechar os olhos para o que estamos dizendo ou alertando, procure outra academia ou troque de profissional.

O que acho do Crossfit? É muito bom! Quando temos profissionais (e não amadores) no comando!

CROSSFIT: MODA OU RESULTADO?

 

Comente o que achou.

Clique aqui

QUE TÊNIS DEVO COMPRAR?

Você deve entender que o que parece melhor geralmente é o mais recente ou com a propaganda mais cara! Como nas propagandas de crédito consignado pra terceira idade só aparecem pessoas felizes, comprar tênis pela marca ou pela mídia pode virar, literalmente, um calo nos pés.

 

QUANTO AO AMORTECIMENTO...

Independentemente se você tem uma vida de atleta, profissional ou amador, é imprescindível que além do valor e das cores desse futuro investimento (tênis não se compra, investe-se) ele possa lhe responder positivamente ao seu tipo de pisada, necessidade e tipo de prática esportiva executada. Um tênis bem escolhido pode evitar vícios posturais, lesões nos tornozelos, joelhos e até na coluna.

Estudos revelam que nosso pé, ao atingir o chão, durante uma corrida, pode-se aplicar uma força de, aproximadamente, sete a oito vezes o nosso peso corporal, então já se identifica um componente importante na escolha: que peso combina com bons amortecimentos. Decidir por modelos com E.V.A. ou GEL entram em questão.

 

QUANTO A PISADA...

Da nossa fase quatro apoios da infância (engatinhar) a fase livre das corridas, nós aprendemos a andar e é uma coisa obvia que nem todos andam da mesma forma. Espera-se que façamos a transição calcanhar – dedos de forma simética, ou seja, dissolvendo e diluindo o impacto, no entanto, quando essa transição ocorre para o lado de fora, (do calcanhar para o menor dedo) temos uma pisada SUPINADA.

Incrivelmente boa parte das pessoas faz justamente o inverso, faz a transição de calcanhar para o hálux (dedão do pé), dessa forma pisando para dentro. Essa pisada PRONADA revela aos poucos desde bolhas próximas ao “dedão” a dores no menisco medial do joelho (lado de dentro da articulação).

A decisão de comprar um tênis NEUTRO (pisada normal), supinado ou pronado vai depender de uma analise prévia de um especialista. O fisioterapeuta e o ortopedista serão esses profissionais que poderão lhe ofertar uma “luz” antes de fazer tamanho gasto.

Um alerta importante do site “tênis para corrida”: “Os tênis neutros não interferem no desempenho ou prejudicam o atleta, mas se for comprado para uma correção e a pisada não for aquela ao que o tênis diz corrigir, pode piorar a lesão”. OK?

 

QUANTO AO PREÇO...

O senso comum diz que quanto mais caro, maior é a tecnologia envolvida, certo? SIM! Mas não necessariamente será o melhor adaptado aos meus pés, a minha pisada e a minha rotina...

Ao passo que uma grande empresa investe para criar uma tecnologia inovadora e eficaz, ela investe até 5x mais em propaganda e anúncios para lhe convencer a adquirir seu produto.

Algumas dicas:

  • Não compre pela marca X ou Y;

  • Não saia de casa para comprar um tênis frustrado com um rendimento recente. Aumenta assim o risco de comprar por compulsão;

  • Muitos vendedores nunca correram um quilometro sequer, portanto faça pesquisa com quem já comprou;

  • Antes de comprar pela internet, vá a loja e prove o modelo pretendido no seu pé. Às vezes na loja física esteja mais barato (ou quase igual) que compense a ansiedade de esperar pelo modelo online que poderá levar até cinco dias pra chegar;

  • Compre tênis que vá usar. Tênis “enfeite” não valem o investimento;

  • Já viu algum queniano com tênis com molas? :P

  • De tempos em tempos os tênis se atualizam em tecnologia (modelo 1.0, 2.0) e como celulares, o preço do novo modelo daqui a seis meses será metade do valor e continuará muito bom;

  • Tenha pelo menos dois pares. Use os dois!

 

Para encontrar mais dicas consultem:

http://www.tenis-para-corrida.com/tipos-pisada-importancia-quem-corre/

Comente o que achou.

Clique aqui