TREINOS INTENSOS NEM SEMPRE GARANTEM RESULTADOS

Primeiro semestre se foi e com ele um ciclo de treinamentos e objetivos executado, no entanto isso só vale para quem realmente leva o treinamento mais a sério. Sim! Levar a sério não quer dizer treinar até doer ou rodar a maior distancia possível... Isso se chama amadorismo e pode ser tão perigoso quanto o esporte de elite.

Seja treinando com orientação profissional ou com amigos; seja com planejamento individualizado ou planilhas copiadas de internet sem qualquer tipo de adaptação a sua realidade, tudo isso é válido pelo amor ao esporte desejado. Vale correr, nadar, lutar, pedalar (...), vale tudo, menos ser bobo, e o pior, irresponsável ao ponto de orientar isso ou aquilo a outras pessoas.

É incrível a quantidade de gente que se machuca ou se lesiona feio fazendo atividade física, seja ela orientada ou não. Não temos estatísticas verdadeiras, pois quem se machuca raramente vai tornar público o motivo verdadeiro da lesão. Conhece alguém que ficou “empenado” uma semana após uma aula de CROSSFIT e disse que foi um treino mal feito? Ou alguém que passou dois dias sem andar após uma maratona, mas não aceita que foi sua culpa e o destreinamento? Pois é, em atletas de elite, que buscam limites, isso é normal.

“ah! Eu sou amador”, “não preciso de ninguém me orientando!”, “eu sei o que estou fazendo!”; “se não doer, o treino não foi bom”! Ave! Nos tempos do acesso a informação ainda tem gente que fala isso? E, não satisfeito, ainda publica os feitos, como se aquilo fosse correto... Fundamentado em que?

Precisamos entender que se realizo atividades físicas mais 3x por semana estou TREINANDO. Treinar denota que saibamos o que esmos fazendo, pois quem treina tem algo, um objetivo, uma meta em mente, mesmo que seja apenas o bem estar do corpo e mente.

Conheço pessoas que correm ou rodam semanalmente tanto quanto alguns atletas olímpicos. São 18, 20, 25 quilômetros diários há três quatro anos e seus tempos nas provas continuam os mesmos. “Ah eu não me preocupo com o pódio”! Adoro ouvir essa mentira para justificar o fato e manter o hábito insano e sem resultados. Resultado não é pegar pódio!

 

TREINAR INTENSAMENTE ENVELHECE

Quem em sã consciência treina tanto assim sem um objetivo em mente? O corpo, mesmo com os melhores suplementos e alimentação, não consegue suportar a tamanha produção de radicais livres produzidas pela produção de energia. Isso mesmo, treinar, além de tornar seu corpo mais forte, rápido ou resistente também apressa o envelhecimento celular. Consegue dizer a idade de um atleta queniano pelas feições? Ou pelo corpo de um ginasta olímpico?

A ATIVIDADE FÍSICA PROLONGA A JUVENTUDE.

No contraponto do parágrafo anterior, expor o corpo a uma determinada intensidade, com tempos, ciclos, sistematicamente, pode retardar o envelhecimento. O que mudou dessa afirmação para a anterior? Aqui entra o tal PLANEJAMENTO que as gerações atuais parecem ter pavor de fazer. Se sentem tão cobradas no trabalho, pelos chefes, nos estudos, que planejar seu crescimento físico é tirar sua liberdade.

Assim como uma carreira profissional, a progressão ou reconhecimento público, o tal corpo ou capacidade atlética desejada não acontece sem que haja planejamento, suor e foco e nem por isso perderá a sua liberdade ou deixará de ver o nascer do sol. É preciso romper com a ditadura “nutella”, plásticas meramente estéticas, dos suplementos desnecessários, dos treinos de YouTube e apostar que talvez outra condução seja mais adequada a minha vida.

Planeje também sua vida física! Seu corpo e mente agradecerão! Escolha melhor quem segue ou ouve!

Leitura sugerida: https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/intensificar-treinos-bruscamente-aumenta-risco-de-lesoes-consideravelmente.ghtml

tml

SASEE.png

SAÚDE

Além de gerar sobrecarga no sistema osteomuscular, superar marcas e limites no esporte de elite ou amador, a busca de corpos mais delineados ou mais “estéticos” exigem muito dos sistemas fisiológicos envolvidos. Engana se quem acredita que “malhar” ou “treinar” envolve somente a vontade ou determinação de um indivíduo em alcançar um determinado objetivo. Há muito mais coisas nas séries de 10!

Períodos de crise econômica, novas regras para legislação trabalhista, explosão de espaços públicos ocupados (isso até que foi bom), massivas divulgações de informação nas redes sociais colaboram para a proliferação da cultura negligente quanto a saúde física. Esse assunto é tão delicado que até mesmo quem se atreve a se manifestar é visto como o errado.

NA ACADEMIA TEM PROFESSOR?

Sim e não! O que percebemos que sim, as academias se tornaram grandes espaços de múltiplas atividades acontecendo simultaneamente. Elas não se parecem nada com academias dos anos 1980 e 1990 sobretudo sobre o apelo tecnológico dos aparelhos, MAS os professores sumiram. Hoje grandes franquias possuem um quadro reduzido de profissionais fixos que aos poucos são substituídos, por culpa também dos usuários, pelos treinos copiados da internet e o “faça você mesmo”.

FATO: O treino pode ser do campeão olímpico, mas sem orientação ele não te levará a lugar nenhum.

CASOS DE MORTE SÚBITA

A cada novo caso de atleta que falece (essa semana um jogador da Itália) faz ressurgir a discussão: por que um atleta tão saudável morreu tão cedo? A atividade física não representa a saúde? Só acontece com atletas de elite? Subestimamos esse risco? Negligencia? Em academias também tem acontecido.

A NEGLIGENCIA...

Também conhecida como FALTA DE CUIDADO OU DESATENÇÃO. A negligência implica em omissão ou falta de observação do dever, ou seja, aquele que deixa de agir de forma, prudente, e não age com o cuidado exigido pela situação – QUANDO VOCÊ ESTÁ NA ACADEMIA QUEM É RESPONSÁVEL SE VOCÊ FAZ UMA ATIVIDADE DE FORMA ERRADA?

Profissional de academia: mesmo não sendo seu cliente / aluno, mas percebe que está fazendo errado, avise! Não permita ele alegar que você não o avisou e talvez, se a resposta for a contento, você ganhe um novo cliente.

A IMPRUDÊNCIA...

Imperícia é quando alguém que deveria ter domínio sobre uma determinada técnica não a tem. Entenda que “dominar” também significa ter o PODER legal de ensinar, pois a defesa (ou justificativa) de pessoas não habilitadas é que elas “foram ou são atletas” ou “sabem fazer”. Isso preocupa pois crescem o número de falsos profissionais mesmo com os conselhos sendo mais presentes na fiscalização.

É preciso que fique claro ao cliente que ele(a) tem o direito sobre seu corpo e sobre o que faz ou submete a ele, mas em espaços privados como academias caem sobre outros (os profissionais) as responsabilidades desses atos não pensados.

Sim, academia não é barato! Mas um mês de orientação sai mais barato que muitas consultas particulares de colegas da área de saúde e estética, portanto, investir em boa orientação é aumentar as chances de sucesso em alcançar os objetivos, crescimento nas recomendações por Buzz marketing (disseminação de propaganda de um produto ou serviço através de cadeias de consumidores nas redes sociais) e mitigar os riscos à saúde e a imagem da empresa.

A SAÚDE A SÉRIO opta pela defesa do profissional habilitado e registrado presente no local.

Bons treinos!

ACADEMIA SEM ORIENTAÇÃO

 
 

TIREOIDE E ATIVIDADE FÍSICA

Por Andrea Schulz (Colaboradora SAUDE A SÉRIO)

 tireoide é uma glândula que pode ser comparada ao principal motor do nosso organismo. Com seus hormônios em níveis normais e equilibrados, todo o corpo e seus órgãos se beneficiam. O esportista e o atleta dependem muito do seu funcionamento, para que a pratica esportiva consiga seus objetivos normalmente.

Quando por alguma razão ela aumenta a produção dos seus hormônios T3 e T4, ultrapassando os limites, teremos uma doença, o hipertireoidismo com seus efeitos gerais e principalmente cardiocirculatórios, que iremos enumerar: arritmias cardíacas (pulsação mantida acelerada, em média acima de 100/minuto em repouso, falhas nos batimentos), fraqueza muscular, osteoporose, emagrecimento patológico, distúrbios intestinais, insônia, irritabilidade, distúrbios menstruais e outras.

E O EXERCÍCIO FÍSICO?

O exercício físico tem como característica alterar diversas funções do organismo humano por atuar no sistema endócrino estimulando ou inibindo a secreção hormonal.

Pesquisas apontam que uma atividade física de ENDURECE OU DE LEVE A MODERADA por longos períodos resulta em uma forma não patológica de hipotireoidismo que dura por até três dias. Eles acreditam na hipótese de que isso ocorra, pois, o exercício libera fatores inibidores da tireoide. ESSA INIBIÇÃO TEMPORÁRIA NÃO OCASIONA PROBLEMAS, mas se isso perdura por muito tempo, ou seja, em uma atividade física MUITO EXTENUANTE E DE LONGO PERÍODO, prejuízos como fadiga e queda na performance são observados.

Essas adequações nos níveis de tireoide pós-treino servem de parâmetro para analisar se está ocorrendo um excesso de treino onde cada pessoa tem um período de recuperação diferente da outra.

O HORMONIO T3... ESSENCIAL

Mas não podemos negligenciar o hormônio T3 que é um hormônio ativo. Ele é aquele que dará pique, energia; ajudará na perda de gordura/peso dentro de uma dieta balanceada. UM FATO, muitas vezes o T4 pode estar dentro da normalidade, mas o T3 não. Nosso corpo precisa da conversão de T4 em T3, mas essa conversão é suportada ou interferida negativamente por alguns fatores, associados a:

  • Diabetes;

  • Deficiência de nutrientes como zinco, ferro, vitamina A e selênio;

  • Excesso de iodo;

  • Estresse, excesso de gordura no corpo;

  • Consumo de álcool, etc

É PRECISO TRANSFORMAR T4 EM T3 PARA TERMOS MELHORES DESEMPENHOS, INCLUSIVE QUANTO AO EMAGRECIMANETO.

Vai treinar? Está treinando sério? Consulte seu médico especialista e seu nutricionista sobre esse assunto. Foquem no trabalho multidisciplinar. Invista no que é saudável e orientado.

Leia mais em:

RBAFS – Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde - Brazilian Journal of Physical Activity and Health. https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/RBAFS/article/view/2177

Certa vez discutíamos uma citação que dizia que as pessoas: “treinam como PROFISSIONAIS, mas se comportam como AMADORES na responsabilidade esportiva”.

Amador é pessoa que pratica um esporte de forma lúdica, muitas vezes empírica (pelo que sabe ou conhece sobre o assunto) e sem muitas cobranças quanto a desempenho ou resultados, mesmo no fundo querendo ver seu desempenho melhorar, e mais importante, o amador não tem o seu esporte como profissão, pois isso é o que define a essência do atleta profissional: viver disso!

Um interessante estudo foi conduzido por BILLAT ET AL com corredores bem treinados que possuíam indicadores ou sinais de excesso de treinamento. Esses atletas, entendam profissionais, tinham seis (6) treinos por semana, sendo três sessões de treinamento intenso (no VO2max), além de um treino no limiar anaeróbio e dois treinos leves. Esses atletas tinham sinais lembram? Quantos treinos você faz por semana? Some todas as atividades físicas (natação, musculação, bike...) e talvez perceberemos os motivos da qualidade de sua performance.

Se o atleta não pode ser EMPÍRICO, o profissional que aplica os treinos também não deveria ser. Não estou aqui questionando as pessoas, não habilitadas mas que tem muita experiência prática, questiono se elas sabem o que estão fazendo quanto a durabilidade ou longevidade da saúde daquele que treina. Questiono muito isso inclusive com aqueles que treinam crianças e adolescentes como se fossem adultos para disputar competições de pouca expressão, sentenciando mais de 95% dessas promessas mirins a apenas promessas. Pois é, o corpo não suporta chegar a melhor idade de treino! Irresponsáveis!

O mesmo estudo aponta que houve uma oportuna “melhora de rendimento proporcionada por apenas uma sessão de treinamento intenso por semana(...). Nesse sentido, recomenda-se uma ou duas sessões por semana de treinamento de alta intensidade com no mínimo 36 horas entre as sessões. A razão para esse intervalo entre os treinos intensos se dá pelo fato de que, quando bastante depletado, o glicogênio muscular pode demorar de 12 a 36 horas para se recuperar. Além disso, PEQUENOS REPAROS ESTRUTURAIS NAS MITOCÔNDRIAS, FIBRAS MUSCULARES, TENDÕES E LIGAMENTOS, OCASIONADOS PRINCIPALMENTE PELAS CONTRAÇÕES EXCÊNTRICAS, PODEM LEVAR DE UM A QUATRO DIAS PARA SER CONCLUÍDOS INTEGRALMENTE”.

Para submeter a mim ou a outros a uma determinada carga (ou treinos) É PRECISO TER RESPONSABILIDADE sobre o quanto será inferior, justo ou excessivo, bem como a quantidade e tipo de repouso que deverá ofertado para que seja “longo o suficiente para permitir a recuperação”.

Observem essas dicas:

  1. Preencher todo seu tempo com atividades (inclusive o dedicado ao repouso), mesmo que de baixa intensidade, além da possível influência negativa sobre a performance ou na potencialização das lesões, poderá permitir, de forma bem comum “janelas imunológicas” a infecções oportunistas;

  2. Mesmo seguindo diversas pessoas interessantes no Instagram (pois têm muitas mesmo) é difícil não olhar com criticidade aqueles que parecem sugerir que uma vida sadia esteja em replicar sua própria vida, opiniões, treinos e tipo alimentação sem fontes seguras de informação ou responsabilidade sobre o que publica. Influenciadores de Internet vivem disso! Fica a dica!

  3. Tem dúvidas? Pergunte! Seja chato(a), pois é sua saúde em jogo! O meio esportivo está cheio de profissionais piratas ou genéricos! Não confie tudo que vê, ouve ou lê. Seja crítico(a)! Se você gosta tanto desse esporte, faça a coisa certa desde a primeira vez! Pais! Vejam com quem estão seus filhos!

  4. Se seus questionamentos são respondidos com palavras sem sentido ou frases prontas, duvide! Contrate o serviço de um bom profissional. Procure por referências. Sua economia pode custar caro no final.

Leia mais em: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v16n1/a12v16n1.pdf

TREINAMENTO NÃO CABE AMADORISMO...

 

Impressiona-nos o movimento de pessoas que tem procurado por atividade física mesmo em meio a momentos de turbulência financeira, que seria até compreensível o abandono das coisas mais “fúteis” em detrimento àquelas que são realmente importantes. Teria a atividade física migrado das coisas “abandonáveis” para as vitais? (ÓTIMA NOTICIA)

Perde-se no infinito número de novas rashtags criadas pelos “loucos” por atividade física nas redes sociais e que usam da criatividade para se manter na ativa, pondo vida em sua vida, mas mesmo com essa crescente quantidade de novos adeptos, preocupa o fato de cada vez mais indivíduos têm como grande consultor apenas a internet.

Ao digitar nos grandes sites na busca frases como “treino para iniciantes”, “faça sozinho”, “academia em casa” perceberemos que antes que terminemos de digitar o computador já mostrará que alguém já fez o mesmo questionamento. Será mesmo que algo formatado se adequa a sua realidade e necessidades? Os melhores sites deixam claro que as opiniões ali sçao de total responsabilidade de quem os escreve, nunca leu isso? Eu por acaso tomo remédios só porque alguém disse que é bom sem saber ao certo se era o que tenho é idêntico ao outro?

Pois é... Em meio a aquela notícia boa do enunciado deparamos também com a crescente e perigosa conduta chamada MAKE YOURSELF.

VALORES CAROS (e muitas vezes realmente não valem o investimento), a REALIDADE DO TEMPO que possuem não bater com os horários da atividade pretendida, que NÃO TEMOS QUEM CUIDEM DOS NOSSOS FILHOS, a qualidade dos PROFISSIONAIS da sua região.... Alega-se muito, mas talvez nada justifique por sua saúde de em risco

Na mesma VIBE caminha as receitas e dietas milagrosas, os “mágicos” detox, que fugiram da função inicial e ganharam “status” de refeição; SHAKES EMAGRECEDORES (ou seriam laxativos); dos suplementos alimentares.... Façamos uma observação aqui: SUPLEMENTO ou qualquer dieta não devem ser indicados por profissional de educação física! Cada um na sua formação!

Claro que tenho que me render ao fato que se fizermos tudo conforme manda as regras talvez não teríamos dinheiro suficiente para fazer uma atividade física e uma alimentação da forma mais correta, mas uma boa pesquisa, boas referências e menos consultas cegas a internet poderiam ajudar.

Vai começar uma atividade física? Tente seguir alguns desses passos:

  1. Um médico deve ser consultado, e de forma imperativa aqueles que tem uma vida sedentária;

  2. Você não é obrigado ir a uma academia, mas é importante que consulte um profissional quanto a atividade que pretende fazer; Valores não dizem que o profissional seja bom. Procure referencias do trabalho;

  3. SHAKES são bons, melhores ainda para quem os vendem. Consulte um profissional de nutrição e não o vendedor!

  4. Vídeos de Internet dão boas referências, mas nem tudo que está lá se adapta a você. Esses vídeos têm, em sua maioria, a finalidade de fazer seguidores e não pessoas saudáveis;

  5. Só faça investimentos com materiais profissionais depois que a atividade virar hábito. Já vi esteiras feitas de varal!

  6. Locais públicos estão cheios de profissionais habilitados. Uma solução interessante que leva em consideração o custo-benefício.

Quer fazer algo você mesmo e do seu jeito (MAKE YOURSELF)? Então faça certo!

Preferimos a verdade dura que uma doce mentira. Sua saúde não pode estar nas mãos de quem não te acompanha!

OS RISCOS DA ATIVIDADE FÍSICA POR CONTA PRÓPRIA

 
 

Os benefícios dos exercícios físicos são fundamentais para uma vida saudável e muito melhor: queima de calorias e perda de peso, manutenção da tonificação dos músculos, melhoria na circulação, melhoria nas funções cardíacas e pulmonares, aumento do autocontrole, redução do estresse, aumento da habilidade de concentração, melhoria na aparência; redução da depressão, melhoria na qualidade do sono, prevenção de pressão sanguínea e colesterol altos e diabetes.

Mas para adquirir todos esses benefícios, deve-se ter muita força de vontade, dedicação e paciência, principalmente no início da prática. Porém, o mais importante é adquirir o hábito.

INICIE UMA ATIVIDADE FÍSICA

A melhor maneira é progredir em passos pequenos. Assim como se fez para aprender a andar. Passos pequenos o suficiente que passem quase despercebidos e que a chance de fracasso de cada passo individual seja praticamente nula. É importante consultar um médico cardiologista, pedir exames e dizer que quer começar a fazer exercícios físicos.

Após a liberação de um especialista, ESCOLHER A ATIVIDADE QUE MAIS AGRADA E TER PERSISTÊNCIA. Começar aos poucos como uma vez por semana e ir aumentando gradativamente. Os ideais são três vezes por semana, mas cada um tem seu ritmo. O importante é começar e não desistir até criar uma rotina.

EXEMPLO DE ALGUMAS ATIVIDADES FÍSICAS E SEUS BENEFÍCIOS

Exercícios Aeróbicos - são os que mais benefícios trazem ao organismo, diminuindo a chance de doenças cardiovasculares e melhorando a qualidade e a expectativa de vida.

-CAMINHADA: é um excelente exercício para quem está iniciando as atividades físicas na rotina. Dos exercícios aeróbicos, a caminhada é a modalidade que reúne o maior número de vantagens. Todas as pessoas que não apresentam limitações físicas importantes podem caminhar. A caminhada permite ao iniciante começar o programa de exercícios com cargas bem leves de trabalho e, com o tempo, ir progredindo lentamente, até atingir a intensidade ideal de treinamento. Para a saúde, é muito melhor caminhar pouco do que não caminhar nada.

-CORRIDA: para iniciar com essa prática é necessário já estar com um bom condicionamento físico. No começo da atividade, o organismo ainda não está adaptado ao esforço exigido. O coração começa a bater mais forte e as células necessitam de mais oxigênio e nutrientes para funcionar bem. Por isso, o cansaço vem rápido.

Beber água é fundamental: correr consome água, energia e sais minerais. A corrida é excelente, porque mexe com todos os músculos do nosso corpo: é um exercício bastante completo. Um bom tênis é muito importante para um exercício de qualidade.

Beber água é fundamental: correr consome água, energia e sais minerais. A corrida é excelente, porque mexe com todos os músculos do nosso corpo: é um exercício bastante completo. Um bom tênis é muito importante para um exercício de qualidade.

-BICICLETA: andar de bicicleta contribui bastante para o bem-estar físico e mental. Esta atividade é excelente para enrijecer as nádegas e coxas – regiões que estão constantemente na lista de preocupações, por serem propensas ao acúmulo de gordura e à flacidez. Além de queimar muitas calorias, contribui também para o bom funcionamento do sistema cardiovascular. Para realizar o treino, optar por locais longe da poluição, como parques e ruas tranquilas. Assim, os resultados da atividade são potencializados e acalmam a mente da correria do dia-a-dia.

nadar
nadar
press to zoom
malhar
malhar
press to zoom
correr
correr
press to zoom
funcional
funcional
press to zoom
bike
bike
press to zoom
dançar
dançar
press to zoom

-MUSCULAÇÃO: a função da musculação NÃO É SOMENTE ESTÉTICA. Ela também é essencial para a saúde e o bem-estar. Hoje se sabe por meio de diversas pesquisas científicas que o treino com pesos aumenta a massa muscular e traz inúmeros benefícios ao organismo como um todo.

Quando se pratica treino com pesos, se adquire massa magra. Com mais músculos no corpo, o metabolismo fica acelerado e consome mais calorias, mesmo em repouso. Resultado: perda de peso com mais facilidade. Além disso, o treino de resistência fortalece os ossos, o coração e melhora a postura.

É fundamental a prática de musculação principalmente após os trinta anos – idade em que começa a diminuição de massa magra e que devem ser iniciados os primeiros cuidados para evitar a osteoporose. Entre vários outros cuidados, o treino com pesos ajuda o organismo a fixar o cálcio nos ossos, fortalecendo-os. A musculação deve ser praticada juntamente com exercícios aeróbicos para que os benefícios sejam completos. Assim, se ganha um corpo mais forte e um coração mais resistente. E um corpo mais forte executa as tarefas diárias com mais disposição, energia e bem-estar.

-OUTROS exercícios como natação, hidroginástica também são extremamente benéficos para a saúde. O mais importante é procurar um médico para liberação do início dos exercícios, manter uma alimentação saudável, e também procurar a ajuda de um profissional por exemplo de Educação Física para auxiliar na execução correta das atividades ou até mesmo na escolha do melhor exercício para cada pessoa ou situação.

Leia na integra em: http://www.portaldepaulinia.com.br/saude/noticias/28268-exercicio-fisico-e-fundamental-para-uma-vida-saudavel-e-bem-melhor.html

 

Vez ou outra aquele ser sedentário que habita em nossa casa resolve ir embora, seja motivado pelo que mostra a balança, pela roupa que insiste não entrar ou pela estima que começa a fraquejar ao que é visto pelo espelho ou nas fotografias. Pois é, nessa hora que precisamos aproveitar para iniciar uma atividade física, cumprindo assim promessas feitas em tantos fins de anos ou domingos: AMANHÃ EU COMEÇO!

É evidente que não vai pôr um tênis e vai ter o mesmo desempenho atlético de pessoas que já praticam a atividade escolhida, mas isso não pode desmotivar e tão pouco desanimar. QUAL É SEU OBJETIVO? SUPERAÇÃO OU SER COMO FULANO (A)?

Siga alguns desses conselhos:

SEJA JUSTO (A)

É realmente dificultoso, mas não impossível, deixar ou abandonar uma posição sedentária para se transformar no (a) Sr (a) fitness. O tempo pode ser um dos grandes vilões a aquela animação inicial, mas é ele que dirá se suas metas e objetivos são sólidas e não “fogo de palha”. Ser justo é respeitar a relação entre o tempo e a distância do seu sonho. Não será de uma hora para outra, por isso permaneça firme!

O DIA SEGUINTE...

EXCETO se for uma caminhada, não é muito natural ter tantas dores no dia seguinte, mas para que isso não seja um empecilho, orienta-se que toda atividade física seja acompanhada de um profissional habilitado de Educação Física. Relate toda e qualquer “novidade” a ele, pois só assim poderá dosar a quantidade de exercício e de descanso. FICA A DICA: “NO PAIN, NO GAIN” não se aplica a iniciantes

TENHA OBJETIVOS CLAROS E REALISTAS

Comece pondo no papel o que pretende. Correr, Nadar, Pedalar (...) não são objetivos claros, pois correr todo mundo corre... É preciso deixar claro que pretende correr tantos quilômetros, ou tal percurso até tal mês. Isso sim é algo claro e mensurável.

Ser realista é apresentar para si próprio algo que possa ser conquistado com dedicação e esforço e não algo próximo ao impossível ou que coloque sua segurança em risco por falta de técnica, segurança ou adaptação fisiológica. Exemplo: Vou caminhar 30km numa trilha até o morro de São Jeronimo.

SE POSSIVEL ARRUME UM CUMPLICE

Sua vontade tem que ser maior que suas desculpas, por isso sua saúde deve ser mais importante que aquela preguiça que sempre bate na hora da atividade física. Sim, toda essa mudança depende mais de suas atitudes que das pessoas, mas é claro que se alguém vai junto tudo vai mais fácil. Até longas jornadas ficam menores se estamos acompanhados.

RESPEITE OS SINAIS DO CORPO

Provavelmente quem está lendo esse artigo tem mais de 18 anos e já tem certa maturidade para entender que VOCE NÃO É TÃO NOVINHO PARA SER IRRESPONSÁVEL.

Dor não é sinal de bom treino; acompanhar o ritmo de outros pode levar a uma fadiga desnecessária; distancias ou treinos copiados de internet podem não representar a realidade suportada pelo seu organismo, por isso FAÇA SEMPRE AQUILO QUE FOI PRESCRITO.

CARREGUE O NECESSÁRIO

Somos vítimas do consumismo quando iniciamos uma atividade física. São tantos apetrechos que as vezes nos perdemos na serventia de tudo aquilo. No início evite tantas coisas, pois elas só te farão passar raiva e até desistir de treinar se mal ajustadas ou adaptadas a sua prática.

Essa regra serve também para tipo de roupa, celulares e outros equipamentos. Roupas erradas mais atrapalham que ajudam; celulares devem ser guardados haja vista servem de desculpa para ir embora em boa parte dos casos (ligações, foco na hora, redes sociais).

Registre os primeiros raios de sol ou a magia dos pôr-do-sois com seus olhos antes de querer tirar fotos. Contemple a natureza, a paisagem, as pessoas (...) antes mesmo de compartilhar sua atividade concluída.

Bom treino!

EU VOU COMEÇAR HOJE!

 

PERIODIZAÇÃO DOS TREINOS X VONTADE DE CORRER

Como profissional nem sempre temos que acatar todas as vontades dos alunos, haja vista o “contrato” que fizemos em busca de uma melhoria de performance ou qualidade de vida. Essa nossa “chatice” tem várias brechas por onde passam o feedback e impressões vindas dos alunos, mas tem coisas...

No inicio de um ciclo de trabalho, o professor põe à mesa todos os objetivos primários e secundários que nortearão o nosso trabalho. Essa situação, que parte da conversa do técnico / atleta, deixará claro (pra ambos) onde e quando poderemos e esperamos ter nossos melhores desempenhos, portanto, é aqui NESTE MOMENTO QUE ESCOLHEMOS O QUE PARTICIPAR OU NÃO. Pronto! Ai temos o problema central do tema.

Se você, ao ser questionado por seu treinador, marcou um “X” na opção “melhorar a performance” deu então carta branca para cobrar e exigir de você, e tão chato quanto ficar machucado e não poder treinar, são as situações onde o praticante esquece o tal “contrato” fazendo o que quer. Seria legal e viável se ao fim do ciclo (ano ou semestre) não nos olhassem achando que nosso trabalho foi insuficiente ou fraco, ausentando-se totalmente de perceber seu lado.

Recentemente Diego Hipólito deu créditos do seu brilhante retorno ao profissionalismo do seu novo técnico, que dentre as coisas que pediu, solicitou FOCO TOTAL. Realmente, quem deseja ser Deus do Olimpo precisa enfrentar leões e dragões de sete cabeças, pois não consigo ver desempenho sem disciplina.

Desse “contrato” irá surgir um projeto chamado de PERIODIZAÇÃO, que é “a ferramenta que os treinadores usam para trabalhar com volume e intensidade dos treinos de seus alunos. DAÍ A IMPORTÂNCIA DE SABER QUAIS PROVAS O SEU ALUNO PRETENDE FAZER. Quando o aluno começa a traçar “mil e uma” corridas para o ano, deve-se avisar que é praticamente impossível a aquisição de personal best results (melhor marca pessoal) em todas elas”

Entenda que em NENHUM MOMENTO QUERO DESENCORAJAR os alunos a participar de corridas, o que desejamos é que sejam críticos e objetivados, pois “foco é escolher com critério E SABER QUE MUITAS DAS PROVAS ELES VÃO USAR COMO TREINO, aproveitando todo o clima que as envolve. Não adianta querer melhorar tempo em todas elas”!

Você não tem nada a perder tendo foco e metas bem claras:

  • Diminui riscos de lesões;

  • Aprende com as corridas “desconhecidas”

  • Evita perca de treinos “chave” na preparação;

  • Demonstra amadurecimento e respeito consigo mesmo e com seu treinador;

  • Não desanima com facilidade por uma prova mal realizada;

  • Sente-se bem preparado nas provas alvo;

  • O professor consegue avaliar seus resultados com maior veracidade;

Dica: Antes de clicar e fazer inscrição numa prova olhe suas metas! Feito assim suas chances de êxito se elevam.

Esse texto é muito direcionado ao que se cobra e quer resultados, mas se você marcou um “X” em ser feliz CORRENDO POR CORRER, relaxe e aproveite a paisagem.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/noticia/2012/03/importancia-de-tracar-metas-de-treinos-de-olho-nas-corridas-de-rua.html

Comente o que achou.

Clique aqui

Atualmente uma das “modinhas” entre os corredores são os treinos de escada. Em São Paulo, a famosa escadaria da Avenida Sumaré virou ponto de encontro, com direito a congestionamento nos degraus aos sábados e domingos pela manhã. Mas para que serve esse tipo de treino? Qualquer um pode fazer? Afinal, nem tudo que vale “uma selfie no insta”, serve para todo mundo e a qualquer momento, não é mesmo? Camilo Motta, professor de ed. física formado pela Escola de Ed. Fisica da USP, treinador de Run&Fun, explica que “o treino de escadas é bem interessante para variar estímulos, ele é um jeito de ter ganhos de condicionamento com um treino diferente”.

Para ele, esse tipo de treino em escadas pode ser usado como estratégia de treinamento com diferentes finalidades. De uma maneira geral, acredita-se que o treino em escadas pode gerar um ganho de força semelhante ou até superior a um treino de subidas tradicional. Sendo muito indicado para corredores de montanha, que muitas vezes irão se deparar com terrenos semelhantes a uma escada.

Existem alguns estudos que verificaram o efeito do uso do treino em escadas em indivíduos sedentários e com sobrepeso. Os resultados foram bem positivos, os pesquisados do estudo tiveram considerável perda de peso, diminuição do colesterol ruim (LDL), aumento do colesterol bom (HDL) e melhoraram o condicionamento físico, mostrando que o treino em escadas pode ser uma boa alternativa para que está começando seus primeiros treinos.

Outra vantagem comprovada cientificamente é o aumento da capacidade aeróbica. Estudos realizados na década de 1990 constataram que o treino em escadas pode ser tão efetivo quanto o treino de corrida para o condicionamento físico. Dois grupos de mulheres sedentárias fizeram treinos distintos, um grupo fazia o treino de corrida tradicional e outro treino em escadas. Ao final, os resultados mostraram que o ganho da capacidade aeróbica foram semelhantes.

Por outro lado, algumas pesquisas mostraram que este tipo de treino OFERECE UMA COMPRESSÃO PATELAR (pressão sobre a articulação do joelho) em uma magnitude considerável, tanto ao subir, mas sobretudo ao descer escadas, GERANDO UMA SOBRECARGA NAS ARTICULAÇÕES DOS JOELHOS que pode ocasionar lesões.

“Para um iniciante, por exemplo, é importante ser cauteloso quanto o volume desse tipo de treino para não gerar nenhum dano”, alerta o treinador. “Corredores que já tiveram algum acometimento na articulação dos joelhos DEVEM SEMPRE COMUNICAR AO SEU TREINADOR SOBRE SUA LESÃO, para que esse possa avaliar se o treino pode ser benéfico ou não. Atletas com condromalácia patelar, artrose, lesões ligamentares entre outras, devem ter muito cuidado com esse tipo de treino, a menos que a musculatura estabilizadora do joelho esteja bem fortalecida, ESSE TREINO PODE SER PERIGOSO”, diz Camilo, ressaltando que o trabalho de musculação paralelo é fundamental para quem executa treinos em escada.

1. Antes de marcar aquele treininho com os amigos na escadaria badalada da cidade, consulte seu treinador quanto ao assunto;

2. Corredores com histórico de problemas nas articulações e joelhos devem evitar treinos em escada ou recorrer a eles apenas sob supervisão especializada;

3. Treinar em escadarias é indicado no período de base, quando o objetivo é ganhar resistência e volume;

4. Evite treinar na escada na fase de polimento (poucas semanas que antecedem uma prova) em que a carga de treino é reduzida. Com exceção para atletas que têm por objetivo provas que irão exigir movimentos semelhantes a subir escadas (trail, por exemplo);

5. Treino de escadas pode ser usado também em momentos em que o corredor necessite ganhar força, aumentando amplitude dos degraus (subindo de dois em dois, três em três)

 

Fonte: http://www.jornalcorrida.com.br/runbrasil/2016/05/o-sobe-e-desce-que-fortalece/

O SOBE DESCE QUE FORTALECE...

Mas pode machucar também

Comente o que achou.

Clique aqui

 

O tal bichinho da corrida te mordeu?

Em meio a crise econômica, a VONTADE MENOR de estar confinado a um espaço, EMPOLGADO (A) com a febre contagiosa que tem levado milhões as praças, parques e ruas, as corridas de rua tem “convidado” muitas pessoas a abandonar o sedentarismo ou a sair da posição de conforto das caminhadas. Mas e agora, o que faço se como diz um corredor (Diego) da nossa equipe “CHEGA FIM DE TARDE, A RUA ME CHAMA”?

Buscamos um roteiro interessante no site SUA CORRIDA. ANOTE AI!

1. LIBERAÇÃO MÉDICA

O início é sempre o ponto mais complexo e, por isso, tomar alguns cuidados é fundamental. “Exames clínicos e uma avaliação médica completa são pontos importantes para nortear o planejamento das cargas e volumes dos treino”.

2. TREINAMENTO ACOMPANHADO

O auxílio de um educador físico é indispensável para a condução correta dos treinos. Ele saberá dosar a intensidade e o volume semanal de exercícios para que não haja uma sobrecarga – que pode gerar possíveis lesões. Outro ponto relevante é que os resultados podem ser conseguidos de forma mais rápida.

3. PRIMEIROS TREINOS

A alternância de ritmos é o que marca o início da corrida com o intuito de emagrecer. “Isso vale até mesmo para as pessoas que ainda não conseguem, sequer, trotar.” O novo atleta pode oscilar a velocidade da caminhada, do trote ou da corrida, principalmente para que a frequência cardíaca varie – ponto que ajuda na queima de gordura.

4. ACADEMIA TAMBÉM É PRECISO (IMPORTANTE ISSO)

O trabalho de fortalecimento muscular garante melhor eficiência da corrida, além de proteger o atleta contra lesões musculares e articulares. “Deve ser feito em dias intercalados com a corrida”, relata o especialista.

5. CORRIDA NA MEDIDA CERTA

“Normalmente, em nosso grupo, sugiro e adapto sempre a quantidade de treinos entre três e cinco dias na semana”, conta. Desta maneira, é possível trabalhar a corrida e o fortalecimento sem que se exagere na quantidade semanal de exercícios.

6. DESCANSO É PARTE DA ROTINA

Ter um ou dois dias off na semana, ou seja, sem nenhum treino, além de manter boas noites de sono, são medidas que garantem mais disposição para as atividades e também para encarar o dia a dia.

 

7. BOA ALIMENTAÇÃO

“Busque as orientações de um nutricionista, que saberá direcionar a alimentação a partir dos seus treinos e também da sua rotina”, comenta Marmitt. “Este é um dos pilares para quem quer perder peso de maneira saudável.”

8. DETERMINAÇÃO

Não adiantar dar todos estes passos anteriores se faltar a você vontade de conseguir chegar lá. “Força de vontade é um ponto crucial, pois o processo de emagrecimento deve ser encarado da mesma forma como o de ganho de peso: certamente, levou meses ou anos. Quanto mais longo é, mais definitivo se torna.” Isso vale tanto para bem quanto para mal, por isso, é hora de treinar!

NÓS do SAUDEASERIO.NET acrescentamos mais dois:

9. ENTURME- SE

Correr em grupo ajuda naqueles dias que a preguiça bater a porta. Além de ser motivante, nos ajuda a exercitar as relações sócias tão perdidas pelo advento das redes sociais.

10. NÃO SE MALTRATE

A corrida tem que trazer prazer e não o inferno na terra. Não seja prisioneiro de modismos ou roupas, pois o que talvez seja bonito, não seja útil para melhorar seu desempenho. Lembre-se: até no Photoshop não conseguimos a perfeição!

 

Fontehttp://www.suacorrida.com.br/treino-finisher/8-passos-para-comecar-a-correr-e-perder-peso/ 

Comente o que achou.

Clique aqui

 

RESOLVI CORRER: E AGORA?

 

Vai encarar uma meia maratona ou uma maratona nos próximos meses? Se você tem pela frente uma dessas distâncias, é provável e desejável que tenha passado por distâncias menores antes, principalmente para ganhar experiência no esporte. E essas provas longas requerem um pouco mais de dedicação, inclusive fora das pistas. Confira abaixo duas estratégias para se manter treinando firme e longe de imprevistos.

 

A recuperação deve ser uma prioridade

Assim que você acaba o treino, seu corpo inicia o processo de reparação muscular, restabelecendo o nível de energia do organismo, mas com um detalhe: a evolução. Durante esse processo, ao longo de vários treinos, suas fibras musculares tendem a ficar maiores e mais fortes. Para otimizar essa recuperação, em dias de corridas mais exigentes, uma sugestão é acabar o treino com uma caminhada de 5 a 10 minutos e, enquanto caminha, já comer alguma coisa, como um sanduíche ou uma barra de proteína. Pode ser que você não sinta fome nesse momento, pois o corpo ainda está aquecido e o estímulo ao consumo de alimentos está reduzido. Mas se alimente assim mesmo, o quanto antes, a sua recuperação só começa, de forma efetiva, quando a comida entra no seu corpo. Essa estratégia pode funcionar bem com qualquer corredor, principalmente com aqueles que adoecem (resfriado, dor de garganta, etc) ou se lesionam com alguma frequência.

 

Fique atento ao sono e ao estresse

Ao lado da alimentação, o sono é um dos maiores aliados da recuperação física. É nesse momento que ocorrem os maiores estímulos para uma plena recuperação muscular. Já a falta de sono e o estresse podem ter efeitos devastadores sobre a sua performance em treinos e provas.

E é importante que você leve isso em consideração na hora de realizar os treinos. Se, por exemplo, seu sono não está reparador há um ou dois dias ou se você andou se aborrecendo muito no trabalho ou em casa, é provável que o seu corpo seja inundado por hormônios que prejudicam o seu desempenho. Uma estratégia interessante é evitar treinos duros nesses dias, troque o seu treino intervalado ou o seu longão por uma corrida mais leve ou uma caminhada. Abrir mão do treino pode ser frustrante em um primeiro momento, mas pense na sua saúde e na continuidade do treinamento. Um dia, para quem treina regularmente, não faz diferença, mas forçar a barra quando o corpo ou a cabeça pedem um descanso, pode sobrecarregar o organismo que precisa, no momento, de mais descanso do que treino para melhorar.

 

FONTE: http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/treinos/noticia/2016/03/confira-dicas-importantes-antes-de-encarar-meias-e-maratonas.html

ENCARANDO 21 E 42K: TODA DICA É PRECIOSA

Comente o que achou.

Clique aqui

 

A atividade física é entendida como todo movimento produzido pelos músculos esqueléticos com gasto energético acima dos níveis de repouso. Ou seja, todo movimento que realizamos no dia a dia, como: nadar, lavar o carro, passear com o cachorro, varrer a calçada, brincar, entre outros.

Já os exercícios físicos são considerados como UMA SEQUÊNCIA SISTEMATIZADA de movimentos de diferentes segmentos corporais, executados de forma planejada e com um determinado objetivo a ser atingido. Por exemplo: um passeio ao ar livre é considerado uma atividade física, enquanto uma caminhada orientada é um exercício físico, já que possui um determinado planejamento, como a intensidade, a duração e o objetivo, que pode ser a queima de gordura. Ambos trazem diversos benefícios para a saúde, como o controle do peso corporal, perda de gordura, diminuição da pressão arterial, redução do estresse, além de prevenir doenças como as cardiovasculares e o diabetes desde que seja realizado regularmente.

Uma pessoa para ser considerada ativa e alcançar esses benefícios precisam de no mínimo 150 minutos de atividade física por semana, seja de forma contínua ou intercalada. O mais indicado é que seja realizado 30 minutos, 5 vezes por semana, ou 3 dias na semana com sessões de 50 minutos. Procure atingir intensidades moderadas para alcançar melhores benefícios.

Contudo, esse tempo semanal é insuficiente para provocar mudanças na aptidão física e na composição corporal, sendo necessário progredir para 200 a 300 minutos. Para esses objetivos são aconselhados programas de exercícios físicos formais (elaborados por profissionais), com incremento das atividades físicas.

Um programa regular de exercícios físicos deve possuir pelo menos três componentes: aeróbico (caminhadas, corrida, ginástica), resistido (musculação) e flexibilidade (alongamentos), variando a ênfase em cada um de acordo com a condição clínica e os objetivos de cada indivíduo.

 

 

É essencial procurar atividades que lhe dê prazer para evitar começar a atividade e parar após algum tempo, pois uma semana sem exercícios já é o suficiente para provocar mudanças negativas na composição corporal e na aptidão física.

 

Extraído de: http://www.fabiomedina.com.br/fabio-medina-assessoria-esportiva/170-voce-sabe-a-diferen%C3%A7a-entre-atividade-f%C3%ADsica-e-exerc%C3%ADcio-f%C3%ADsico

 

NOTA DO SITE:

Perceba nesse artigo as diferenças e se pergunte:

  • O que faço é atividade física ou exercício físico?

  • O que estou fazendo irá atender minha necessidade?

  • Quanto tempo vai levar para atingir seus resultados?

 

Comente o que achou.

Clique aqui

ATIVIDADE FÍSICA X EXERCÍCIO FÍSICO

 

A eficácia da corrida para melhorar o funcionamento do organismo e proporcionar um bem-estar físico e psicológico é cada vez mais comprovada. Entre tantos benefícios, no entanto, parece haver um pequeno furo, justamente no que diz respeito a algumas doenças.

Correr faz bem para o corpo. Os benefícios causados pelo exercício regular são tantos que facilmente poderíamos gastar a revista inteira fazendo a lista. Por fazer bem para tantas áreas diferentes, a prática de exercícios criou o estigma de ser boa sempre, e talvez de forma um pouco mais equivocada, e ideia de que se exercício é bom, quanto mais melhor. A corrida, de uma forma especial, incentiva seus praticantes a buscar a superação de seus limites, o que pede mais dedicação aos treinos, que se tornam mais longos e mais intensos. PORÉM, É ESTA ROTINA DE TREINAMENTO INTENSO QUE PARECE SER RESPONSÁVEL PELA MAIOR INCIDÊNCIA DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EM ATLETAS.

O sistema imune é a proteção do organismo contra infecções e doenças, e dentro dele o sistema imune de mucosas é a primeira linha de defesa, responsável pela proteção da cavidade oral, respiratória, gastrointestinal e urogenital. Sua principal função é produzir diferentes tipos de células que destroem e eliminam agentes patogênicos (causadores de doenças). Enquanto a atividade física em doses pequenas e moderadas pode até ser benéfico para a resposta imune do corpo, doses mais altas de exercício, agudo ou crônico, têm sido repetidamente ligadas à diminuição da capacidade imunológica (...).

O exercício intenso diminui a capacidade de resposta do sistema imune também de forma aguda. Diferentes estudos utilizando variadas formas e cargas de exercício demonstraram que a resposta imune fica marcadamente deficiente nas primeiras horas após o término de uma sessão de treinos, e algumas variáveis podem levar até cerca de 20 horas para retornar aos níveis de repouso. Se pensarmos num atleta que realiza duas sessões de treino por dia, é fácil fazer as contas e perceber que ele pode não ter 20 horas para se recuperar entre uma sessão de treino e outra durante a maioria dos dias da semana, indo de encontro à relação negativa entre a resposta imune e a carga e o volume de treinos.

Uma hipótese interessante é que o dano muscular causado pelo exercício intenso (em termos muito simplificados) muda o foco de atenção do sistema imune, deslocando glóbulos brancos (células do sistema imune no sangue) para a musculatura danificada, para dar início a processos inflamatórios. O que se sabe ao certo é que o exercício intenso possui um efeito claro e notável sobre o sistema imune; os mecanismos precisos, no entanto, são mais obscuros.

Os resultados demonstraram que enquanto o exercício em 25% ou 50% da capacidade máxima aumentou a quantidade de marcadores imunológicos pós-exercício, o exercício em 75% do máximo diminuiu a concentração de algumas células do sistema imune. Se a intensidade do exercício em 75% do máximo na bicicleta ergométrica fosse traduzida para a corrida, estaríamos falando de um ritmo mais lento do que o ritmo de maratona da grande maioria dos corredores, ou seja, boa parte das intensidades utilizadas no treinamento normal está acima deste limite.

 

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/cgi-local/materia_impr.pl?999.1069

Comente o que achou.

Clique aqui

QUEDA DA IMUNIDADE X TREINAMENTO

 

Correr tem muitos obstáculos. Quem começou agora ou pratica a atividade há tempos sabe que é comum surgirem desconfortos como bolhas e calos no pé, assaduras entre as pernas, escurecimento ou queda de unhas e sensibilidade nos mamilos.

O atrito entre a roupa e o corpo pode não parecer um problema tão grave para quem caminha, mas quem o faz em um ritmo mais intenso reconhece a necessidade de proteção. Virilhas, mamilos e áreas que entram em atrito, como a parte interior das coxas, são as mais afetadas pelas assaduras, como explica o professor, treinador e corredor Diego Mazuroski. “Usar vaselina ajuda a diminuir o atrito, calções térmicos preservam as coxas e camisetas mais leves, de tecidos sintéticos, os mamilos”, conta.

O servidor público e corredor há seis anos, Jefferson Pacheco Paupério, relata uma sugestão bastante utilizada pelos colegas de corrida. “Em provas longas, adesivos de micropore so­bre o mamilo ajudam a evitar o contato direto com a camiseta”, diz ele.

Outro problema, que atormenta os pés dos corredores, mas que tem solução simples, é o surgimento de bolhas, causadas pelo atrito entre a pele e o tênis ou a meia. Jefferson conta que quando iniciou os treinamentos, até se adaptar ao tênis e encontrar a meia mais adequada, sofreu o incômodo. “A meia faz toda a diferença, mais ainda do que o tênis. Sem a meia que absorva o suor, mas que não seja nem muito fina, nem muito grossa, as bolhas aparecem”, comenta ele.

O treinador explica que os calçados novos normalmente causam atritos e é importante amaciá-los antes de começar a utilizá-los para correr. “Se há áreas que sempre causam bolhas, o indicado é protegê-las com micropore ou outros protetores”, diz Mazuroski.

Refluxo pode aparecer

Apesar de ser um incômodo que atinge mais quem já tem algum problema gástrico ou propensão, o refluxo pode atingir corredores iniciantes. De acordo com a nutricionista e especialista em nutrição esportiva e funcional Simone Camati, na maioria dos casos, as pessoas têm a propensão para o refluxo e não sabem, descobrindo apenas depois de iniciado o treinamento. “Cerca de 80% da população tem propensão e não sabe. Quando começa a fazer atividades físicas, sente o refluxo”, afirma.

Segundo Simone, a fadiga no corredor iniciante também é muito comum. “As pessoas sentem a fadiga mais por erro na ingestão de alimentos. Como muitas pessoas que buscam a corrida querem emagrecer, elas começam uma dieta rica em proteína e sem carboidratos, que faz com que diminua o açúcar no sangue e o corpo perca energia, gerando o cansaço”, explica a nutricionista.

 

Assando o peitoral

As assaduras nos mamilos acontecem pelo atrito da camiseta com esta pele, que é mais sensível. Elas são mais comuns em homens. As camisetas de algodão retém o suor, ficam encharcadas e ásperas e a dor pode ser intensa por até dois dias. Portanto, o conselho é optar tecidos mais leves, como os sintéticos. Já nas coxas, as costuras dos shorts podem incomodar durante a corrida. Prefira os mais grudados ao corpo. Outra medida é passar vaselina para diminuir o atrito.

 

Unhas escuras

Encontrar as unhas pretas após uma corrida é normal e elas aparecem pelo acúmulo de sangue embaixo da unha. Elas surgem normalmente pelo excesso de treinos em ladeiras ou PELO USO DE CALÇADOS MUITO APERTADOS. Por isso é importante encontrar o tênis ideal, nem muito grande, nem muito apertado e que se encaixe na pisada. Outra situação que pode ocorrer é a queda da unha, pela redução do fluxo de sangue para o pé durante a corrida.

Dores nos pés

Alguns incômodos comuns que afligem os corredores são as dores na sola do pé, com início na região do calcanhar, também conhecida por fasceite plantar, e o estresse tibial, também chamada de canelite ou periostite, que são fortes dores na região da canela. Treinamento adequado e sem fazer um esforço maior do que o corpo aguenta naquelas condições pode ajudar a prevenir estes problemas.

Calos aos montes

Tênis apertados podem gerar calos em algumas áreas, como o dedo mínimo ou a sola. Vale verificar se o tênis que está usando é o ideal.

Perda de pelos

Com as roupas grudadas ao corpo, é comum haver uma redução nos pelos. No entanto, é o problema que menos incomoda os corredores e muitos, inclusive, fazem depilação prévia para encarar a corrida.

 

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/saude/os-incomodos-da-corrida/

TÁ TRANQUILO, MAS NEM SEMPRE FAVORÁVEL.

Comente o que achou.

Clique aqui

 

Nesses anos de vida que dividi meu tempo entre ser atleta, professor, pai, funcionário, atleta amador e blogueiro sempre foi uma disputa com o relógio e as poucas 24 horas que um dia nos oferece, mas sempre houve tempo, mas as vezes fui eu que menti pra mim mesmo.

Sempre ouvi de meus avós a expressão “quem tem tempo nunca tem tempo” e ainda hoje não consigo argumentar contra a veracidade da sabedoria popular. Optamos pela mentira ao aceitar que a preguiça nos torna mais imaginativos que saudáveis.

Conseguimos inventar cada desculpa criativa (pra não falar esfarrapada) para nos manter na inércia, mas de todas as estórias a que mais aparece na estatística, é a falta de tempo. Fato: ocupamos nossa vida com tanta coisa que cuidar da própria saúde acaba sendo tratado como algo supérfluo.

Não precisa fazer algo que não gosta, ou apenas fazer para acompanhar os amigos, uma tendência ou o (a) parceiro (a), é preciso sim fazer algo, pois como diz uma famosa propaganda de tênis, seu corpo não foi feito para ficar parado.

A atividade física proporciona sensação de bem estar, melhora a auto-estima, reduz sintomas depressivos e ansiosos, melhora o controle do apetite; a atividade física estimula a produção de alguns aminoácidos que melhoram a ação protetora do sistema imunológico. A atividade física aumenta a rede de pequenos vasos que irrigam os alvéolos pulmonares e as fibras musculares, dessa forma se tornando uma “máquina” mais eficiente, ou seja, menos esforço, menos cansaço...

Será que esses argumentos ainda não conseguem fazer você se mover?

Chuva não é um problema, exceto se for uma inundação ou tempestade. Hoje academias têm aparelhos modernos e climatização que não justificam as desculpas de mesmices e traumas de locais confinados. Algumas cidades já têm empréstimos de bicicletas e as que não têm pelo menos tem uma praça no centro, perto de uma igreja...

 

Falta de tênis adequado podem ser superadas com caminhadas na praia, aulas de PILATES, lutas marciais, yoga, onde normalmente não se precisa desse apetrecho. Segundo um chefe que tive: “um dia as desculpas acabam”.

Hoje os avanços na dermatologia e na indústria de cosméticos já encontraram solução para o cabelo suado, ressecamento da pele, cloro da piscina e o sal do mar, mas ainda não conseguiram fazer a pessoa entrar na água ou correr no fim de tarde.

No pior dos casos que tal dançar no fim de semana (não gosta também?)? Ir á padaria a pé (não gosta de pão)? Descer um ponto antes de sua casa três vezes por semana (ah, esqueci-me dos assaltos)... Sim é bem mais fácil culpar o fato de comer a noite, a cantina do trabalho, o bolo de chocolate, o arroz do almoço, (...). O culpado nunca será você mesmo!

Experimenta fazer diferente e arriscar. Há grandes chances que vire um viciado em saúde como aqueles que muitas vezes criticamos andando, correndo, pedalando num domingo de manhã ou nas madrugadas antes do trabalho.

Até o fim dessa leitura espero que não tenha culpado os filhos, a babá, a empregada, a dor no joelho, a idade, não ter roupa (anda pelada né?)...

Comente o que achou.

Clique aqui

PRAIA
PRAIA
press to zoom
SOFÁ
SOFÁ
press to zoom
PARQUE
PARQUE
press to zoom
IDADE
IDADE
press to zoom
DANÇA
DANÇA
press to zoom
AR LIVRE
AR LIVRE
press to zoom

QUEM TEM TEMPO NUNCA TEM TEMPO...

 

E O SEU PROJETO VERÃO, COMO ANDA?

A chamada do site “ENTRE EM FORMA PARA O VERÃO E AGORA” começou a rodar quando rodamos o site pela primeira vez. Essa chamada era um convite a mudança de hábitos que levariam, a tempo, a uma expectativa bem concreta de um corpo mais “sarado” para o PROJETO VERÃO de cada um. Pergunto: O que já foi feito desde aquela época?

Já adentramos o segundo semestre e quem já começou a suar está em vantagem em relação aos que ainda estão apenas escolhendo o pacote de viagem ou “varando” as noites a procura de promoções de voos. Dicas de emagrecimento já foram aqui postadas e informações diversas que poderiam já ter feito nosso leitor perder alguns quilinhos ou ganhar alguns centímetros de perímetro de massa magra. O que já foi feito?

Vamos focar? Comece hoje ou na segunda, mas ponha isso na sua agenda!

Quais seriam os itens favoritos de um projeto verão? Imagino que: Emagrecer, perder barriga, ganho de massa muscular, melhorar a postura e o tratamento estético antes de exibir a beleza nas praias e piscinas dos hotéis seriam as mais procuradas. Vamos começar hoje pelos mitos: hoje – abdômen.

O tal abdômen “trincado” ou cheio de “gominhos” é fruto de várias situações e não somente do número de repetições abdominais feitas desta ou daquela forma. Definir a musculatura do abdômen requer a mesma atenção que é oferecida aos outros grupamentos como coxa, glúteos, bíceps, tríceps...

Como somos seres bípedes e desafiamos a gravidade para ficarmos de pé, precisamos que nosso centro de gravidade esteja devidamente equilibrado, para que isso ocorra, músculos anteriores e posteriores atuam simultaneamente (e de forma organizada) trabalhando sobre o que chamamos de equilíbrio. Flacidez muscular, mais que estética, pode causar danos a coluna, joelhos, quadril e outras articulações. Às vezes emagrecer não é só estético, e sim, necessário.

 

Diferente de que muitos pensam, trabalham-se os músculos do abdômen não somente realizando abdominais. Além da manutenção da postura e do equilíbrio, esses músculos são vitais para caminharmos, praticarmos qualquer modalidade esportiva ou esforço mais vigoroso, portanto, como qualquer musculatura requer um planejamento adequado e os devidos intervalos de descanso.

Aí temos a segunda “mística” do abdômen: por que será que demoram tanto para definir?

  • Não é quantidade e sim a qualidade na execução;

  • Sem exercícios CARDIOS, provavelmente não haverá a queima de gorduras localizadas para que sejam vistos;

  • A alimentação deve acompanhar seu objetivo; Cuidado com as bebidas alcoólicas;

  • Algumas gordurinhas só nos abandonam quando há uma dieta hiper-restrita (passar fome – e isso não é legal ou correto) ou mediante a procedimento cirúrgico estético (plástica);

  • Não há produtos mágicos! Se enrolar em plástico, desligar a ventilação, saunas (...), não resolve! Não se engane com isso!

Procure uma academia (ou um bom profissional) e inicie um PROGRAMA COMPLETO e foque nos exercícios aeróbios. O que parece improvável vai acontecer se sua fidelidade foi maior que sua descrença!

Comente o que achou.

Clique aqui

Quem treina constantemente (ou pelo menos periodicamente) acaba convivendo com as temidas dores nas costas. Não é que sejam “companheiras de treino”, mas que podem coexistir, isso sim pode acontecer!

Anos e anos de pesquisas sobre as causas das dores, levaram especialistas a orientar aos praticantes (e seus clientes) a procurar atividades de baixo impacto. Corridas, lutas, CrossFit, (...) passaram a ser "vilões" da coluna vertebral. Aprendemos por essas pesquisas os verbetes nada interessantes: hérnia de disco, lombalgia, osteófitos...

Com o crescente número de pessoas que procuram essas modalidades, cresce também a necessidade de profissionais mais informados e capacitados, pois mesmo sendo provados os males, quem pode provar que não há benefícios? Essas atividades de impacto trazem muitos benefícios cardiovasculares, físicos e estéticos que muitos buscam além de todos os benefícios psicológicos inerentes a superação de seus limites pessoais.

Tudo bem, mas vamos com calma também!

Correr por correr já requer fortalecimento muscular de abdômen e lombar. Essa “ajuda” da musculação poderia prevenir boa parte das dores lombares associadas aos treinamentos e as sucessivas batidas do pé contra o solo. Quem luta, além dos já citados na corrida, precisa um composição mais homogênea da musculatura do grande dorsal, trapézios e romboides. Nadar requer força e flexibilidade inclusive da musculatura que atua sobre o pescoço. È impensado hoje um nadador ter rendimento sem fortalecer e alongar esse grupamento.

 

E o CrossFit? Hummm! Essa modalidade requer mais juízo que só ânimo!

Creio que o principal interessado por sua saúde seja você mesmo, portanto embarcar em atividades físicas intensas demanda uma estrutura física mínima, um tempo para a devida adaptação e materiais esportivos adequados.

São dicas de valor para quem curte essa vibe:

  • Alongamento antes e pós-atividade podem reduzir as dores;

  • Sistematize um programa de fortalecimento muscular geral e específico;

  • Invista em calçados adequados à atividade (inclusive no CrossFit);

  • Visite o especialista anualmente e não somente quando estiver com dores;

  • Questione-se o que fez de errado caso termine uma atividade física “travado (a)”;

  • Atividades físicas devem ser SEMPRE orientadas.

Se a DOR será sua companhia (de vontade própria) então aprenda a conviver com ela pacificamente!

Comente o que achou.

Clique aqui

TREINAMENTO E DORES NAS COSTAS: COMPANHEIROS?

Muito se discute sobre o termo correto: distensão ou estiramento? Aqueles que defendem o termo estiramento justificam que a DISTENSÃO é uma propriedade natural do músculo e que ESTIRAMENTO refere-se propriamente à lesão, ou seja, o fato de as fibras musculares terem sidas estiradas e posteriormente rompidas por um esforço produzido.

Sendo assim, o estiramento muscular do grupamento posterior da coxa (isquiotibiais) é comum na prática do esporte. Os isquiotibiais são: Bíceps da coxa, semitendinoso e semimembranoso. Estes cruzam duas articulações: quadril e joelho, daí sua complexidade, pois a capacidade dos isquiostibiais e do quadríceps em produzirem força conjunta é grande e dependendo da posição do joelho ou quadril pode produzir grande estresse ao músculo. Estudos indicam a junção músculo-tendão como o principal local da lesão, porém qualquer ponto ao longo do músculo é suscetível à lesão.

 

CLASSIFICAÇÂO

Estiramento de grau I

Algumas fibras musculares ou tendíneas são estiradas ou rompidas. O movimento ativo produz certa sensibilidade e dor. O movimento é doloroso, mas, em geral, é possível a amplitude de movimento total (poucas fibras são estiradas ou rompidas). O paciente queixa-se de sensibilidade dolorosa nos músculos posteriores da coxa, mínimo de edema e dor à palpação são previstos. Este paciente apresenta ciclo normal da marcha.

Estiramento de grau II

Um número moderado de fibras são estiradas ou rompidas. A contração ativa do músculo é extremamente dolorosa. Em geral, há uma depressão palpável no ventre muscular. Pode-se ouvir um “estalido”. Presença de edema devido à hemorragia capilar. A palpação produz dor de moderada à forte. Observa ciclo anormal da marcha e o paciente não consegue tocar o calcanhar no solo.

Estiramento de grau III

Estiramento grau III: Rompimento total das fibras musculares. Perda total de movimento. A dor é intensa no início, mas diminui com rapidez, devido à completa separação das fibras nervosas. Paciente relata ter ouvido um “estalido”. Este paciente é incapaz de deambular sem muletas. Apresenta força moderada na extensão resistida do quadril com o joelho flexionado, devido ao glúteo máximo. A resistência geralmente provoca dor.

 

MECANISMO DE LESÃO

Algumas teorias indicam a possibilidade de os isquiotibiais virem a sofrer estiramento, dentre os quais, destaco: DESEQUILÍBRIO COM O QUADRÍCEPS, fadiga, POSTURA NA CORRIDA, discrepância de comprimento de membros inferiores, diminuição da amplitude de movimento, DESEQUILÍBRIO ENTRE OS MÚSCULOS ISQUIOTIBIAIS MEDIAL E LATERAL, porém é a contração rápida e explosiva, que fundamentalmente, proporciona o surgimento da lesão.

Vemos também que os estiramentos do semimembranoso e do semitendinoso podem ocorrer DURANTE A DESACELERAÇÃO DA CORRIDA, enquanto os estiramentos da parte lateral inferior do bíceps da coxa ocorrem no desprendimento do pé ou de impulso da corrida.

 

NOTA NOSSA: Percebeu o quanto a consciência do corpo durante (e antes também) a corrida pode prevenir estas lesões? Descidas com desaceleração, arrancadas em subidas, velocidade sem o devido aquecimento, erros na musculação, (...). Talvez quem esteja causando seu problema não seja o excesso de treinos e sim a qualidade ao realizá-lo

 

TEXTO RETIRADO DE

http://fisioesporte.blogspot.com.br/2008/07/estiramento-dos-msculos-posteriores-da.html

Comente o que achou.

Clique aqui

ESTIRAMENTO: ISSO DÓI!

Todo dia levantamos para enfrentar o dia. Temos que estudar, trabalhar, conviver com nossos pares (...) uma rotina que consome pelo menos 2/3 do nosso dia, pois na teoria 1/3 dele passamos na cama. Mas se o dia tem 24 horas significa que trabalhamos dezesseis?

Considerando a jornada de oito horas de trabalho, mais as duas de almoço, sobram seis; subtraindo o tempo perdido no transito, na teoria sobrariam quatro, será que não sobrou tempo para uma atividade física? Será que nem no fim de semana se às 16 horas fossem ocupadas na semana com trabalho e estudo?

Sim! Sobra tempo, mas o que tem faltado são justificativas é coragem!

É de certa forma alarmante o número crescente de sedentários que, na teoria, conhecem a necessidade de se manter em atividade. Em outros tempos, poderíamos alegar desconhecimento, mas na velocidade que sua internet permite, é impossível dizer que fazer algo lhe acrescentará anos a sua vida.

Os mais antigos hoje conseguem ir a idades não imaginadas no tempo da minha avó. Vemos pessoas de sessenta o setenta anos com vitalidade melhor que muitos jovens, juventude esta que cada vez mais troca a saúde pelo abuso dos destilados, alimentação rápida e noites perdidas. O “CARPE DIEN” é válido, mas sem saúde, do que vale?

Num período de seis meses recebi noticias do falecimento de conhecidos e amigos com menos de quarenta anos, não pela guerra das ruas (violência), mas vítimas do abuso da vida sem saúde. Quem foi que disse que baladas não podem dividir espaço com pedaladas? Se a sabedoria popular diz que a “vida passa correndo” por que então não correr junto?

 

Uma atividade física bem feita não é aquela que faz derramar cachoeiras de suor ou que nos deixa doloridos. A atividade bem realizada talvez aquela que é feita. É muito mais saudável uma volta andando num parque que todo tempo perdido sem nada fazer esperando o tal “momento certo”.

Falando em momento certo, quem disse que dieta ou academia só se começa nas segundas? Quem disse que preciso de companhia para uma caminhada? Que preciso de uma orientação mínima, isso sim é verdade, mas é preciso ser muito forte para sair da posição ou zona de conforto que acostumamos estar.

Ao ver tantas pessoas nos fim de semana se exercitando, corridas e mais corridas acontecendo, inúmeras postagens de locais e lugares fora de estrada nas redes sociais (Facebook e Instagram) dos amigos, será que mesmo assim não pintou a curiosidade de saber o que eles sentem?

Faça algo por você! Tenha a curiosidade de se mover. Acompanhe a vida passar na velocidade que ela tem passado. Mova-se!

Comente o que achou.

Clique aqui

MUDE DE ATITUDE CORRENDO...

Sempre tentamos apresentar artigos ou textos interessantes, mas que possuam uma linguagem de fácil entendimento. Esse texto foi extraído de um site e sua fonte será citada no fim

(...)

Mas o que é "definição muscular"? Nada mais é do que deixar o contorno dos diversos grupos musculares visíveis, deixando o corpo bem marcado, trincado, sarado.

Muitas pessoas acham que para definir a musculatura basta emagrecer ou morrer de treinar, o que não é bem assim. É necessário em primeiro lugar ganhar massa muscular para quando reduzir a taxa de gordura corporal, que é o objetivo da definição muscular, se tenha músculos para mostrar.

Os músculos aparecem definidos quando reduzimos o percentual de gordura corporal, isto tem que acontecer porque a musculatura fica abaixo da camada de gordura e assim eles conseguirão ficar visíveis.

Para se conseguir definição muscular de maneira saudável é necessário seguir algumas dicas muito importantes que são:

  1. Uma dieta balanceada e saudável devendo alimentar-se várias vezes ao dia, nada de regimes malucos, pois é necessário energia para os exercícios que serão realizados;

  2. Evite calorias vazias como os açucarados, frituras e álcool, pois nenhum nutriente de qualidade eles fornecem para a construção de um corpo saudável, forte e definido;

  3. Não elimine de vez os carboidratos, pois são responsáveis por reações bioquímicas envolvidas no metabolismo das gorduras;

  4. Faça a ingestão suficiente de proteínas que são as responsáveis por desenvolver e reconstruir os tecidos, principalmente o muscular;

  5. Reduza a ingestão de gorduras, pois nosso organismo trabalha mais intensamente queimando carboidratos do que gorduras;

  6. Faça uma avaliação física, através dela é possível saber quanto exatamente de gordura é necessário eliminar. Em média para homens o percentual é de 15% a 7% e para mulheres de 18% a 10%, sendo este a taxa aceitável e recomendável quando estão envolvidos com treinamento desportivo;

7. O exercício físico é maior e melhor estímulo para a "queima" de gordura, pois aumenta a taxa metabólica em repouso. Isto significa que quando você se exercita seu organismo queima calorias por algumas horas mesmo estando em repouso, tendo como substrato energético a gordura;

8. Por fim a intensidade dos exercícios físicos deve ser levada em consideração pois estudos mostram que quando se exercita aerobiamente deve-se manter os batimentos cardíacos entre 50% a 70% da sua frequência cardíaca máxima onde o substrato energético é a gordura e se utilizar um percentual mais alto (acima de 75%), terá uma queima inferior de gordura.

Independentemente da modalidade que escolher, procure sempre academias com profissionais capacitados para que possa receber a orientação correta, somente assim poderá praticar seus exercícios físicos com qualidade e segurança.

 

Fonte: http://www.maisequilibrio.com.br/fitness/definicao-muscular-corpo-sarado-2505.html

Comente o que achou.

Clique aqui

DEFINIÇÃO MUSCULAR: COMO CONSEGUIR O SONHADO CORPO SARADO?

Começando dezembro percebe-se um grande movimento nas academias e locais públicos da cidade. Esse novo fluxo de pessoas deve-se muito ao famoso “projeto verão” integrante do “pacote de promessas de fim de ano” que fazemos (rsss), mas e ai?

OS PRIMEIROS 30 DIAS

Alguns artigos e posicionamentos de especialistas apontam para a importância da fidelidade ao novo programa nos primeiros quinze dias, pois segundo eles, o organismo começa a “aceitar” a nova rotina e tudo passa a ser mais fácil. Prefiro ser mais cético e crer que algo de fato poderá ser efetivo se essa animação continuar após trinta dias de nova rotina.

A nova rotina, quando pago a “segunda mensalidade”, é sinal que pelo menos algo ficou e que aquela alegria inicial não foi mero fogo de palha, por isso após esse período probatório que os profissionais também te levarão a sério quando questionar ou tiver dúvidas sobre um assunto ou treinamento. Sim! Agor aparece que é sério. Você também investiria seu tempo em quem quer levar a sério não é?

MACRO PLANEJAMENTO

É importante deixar claro seus objetivos e que eles tenham UM MISTO DE REALIDADE E ALGO A SER SUPERADO. Eu não acredito em por numa grade de objetivos apenas metas “LADEIRA ABAIXO”, ou seja, sem muito esforço já conseguir alcançar a meta. Exemplo: Conseguir completar 5km! Observe que até andando isso será possível, mas que tal ao fim de dez meses fazer 35 minutos?

PONHA TEMPERO NA ROTINA

No seu planejamento ponha pitadas de aventura e desconforto, pois “bombará” sua autoestima ao conseguir sair da zona de conforto. Claro que não preciso radicalizar ao ponto de pular de paraquedas ou bangjump, mas inscrever-se num evento de aventura controlada, muito comum nesse mercado emergente, dentre eles a bela franquia ULTRAMACHO.

 

FALE MENOS E FAÇA MAIS

Não quero tentar parafrasear a citação do técnico campeão brasileiro de futebol de 2015 (TITE), mas realmente, falar todos falam, mas transformar essas palavras em ações determinam o quanto você esta realmente disposto a mudar a rotina.

Perceba que:

  1. Falar em mudança se apegando a velhos hábitos não combina;

  2. Redução paulatina dos excessos é vital;

  3. O projeto é seu e não poder depender de outros para justificar sua indisciplina;

  4. Reservar financeiro para esse fim deve estar na sua matriz mensal de gastos e não ser visto como excentricidade ou supérfluos;

  5. Por no papel é melhor que falar;

  6. Paciência e disciplina precisarão ser seu sobrenome

  7. Se vai realmente começar, comece pelo físico (mova-se) depois pelo psicológico (motivação) e depois parta pra alimentação (dieta). Começar pela alimentação é mais difícil em minha opinião.

  8. Compartilhar nas redes sociais ajuda!

Vamos que vamos então!

Comente o que achou.

Clique aqui

MUITO ALÉM DE UM PROJETO VERÃO

ultramacho pantanal
ultramacho pantanal
press to zoom
PANTANAL
PANTANAL
press to zoom
ULTRAMACHO
ULTRAMACHO
press to zoom
METAS
METAS
press to zoom
OBJETIVOS
OBJETIVOS
press to zoom
AVENTURA
AVENTURA
press to zoom

Com o final do ano se aproximando, os momentos de confraternização aumentam: festas na empresa, encontros com os amigos, happy hour com os colegas e os compromissos familiares. Neste período, é comum sentir aquela vontade de se entregar as tentações e à temporada de descanso (e comilança) é tentadora.

É comum sentirmos preguiça ou não conseguirmos resistir a estas tentações, tanto em relação à alimentação como nos treinos. Mas, você precisa visualizar todo o seu trabalho e rotina de treinamento durante os outros meses do ano, a fim de não colocar todo o seu esforço em risco.

Por isso, é importante que você saiba que é possível ter bons momentos de final de ano sem deixar a peteca cair. Você pode (e até deve!) relaxar e diminuir o ritmo nesses dias, mas não totalmente. Veja dicas para não deixar o treinamento de lado:

ESCOLHA LOCAIS PERTO DE CASA

Caso o seu problema seja a preguiça de correr longe de casa, escolha locais de fácil acesso e mais perto de você. Com isso, você evita o desgaste do deslocamento e fica mais próximo da sua casa, o que é muito mais animador.

FAÇA TREINOS COM SEUS AMIGOS

Correr em grupo ou acompanhado de algum amigo pode ser o fator decisivo para você não deixar a rotina de treinamento de lado, pois a companhia de outro corredor pode ser um estímulo para a sua disciplina. Esse é o vínculo certeiro com o compromisso da corrida.

COMECE A TRAÇAR SUAS PRÓXIMAS METAS

Se você não tem nenhuma prova muito próxima ou quer melhorar seu desempenho, comece a planejar seu calendário do próximo ano. Com isso, você se sentirá mais motivado e terá um animo a mais para levantar do sofá e continuar (ou recomeçar) seu treinamento. Independente do seu objetivo tenha em mente que você precisará de um bom condicionamento, resistência e força para enfrentar os próximos desafios. Então, aproveite esses dias para fazer suas escolhas.

 

CORRA SEM RELÓGIO

O ano acabou e você pode relaxar em relação à quebra de tempos e de recordes. Para ajudar a relaxar e manter-se motivado na corrida, escolha um dia para correr sem se preocupar com o tempo. Deixe o relógio em casa e aproveite para curtir o momento da corrida. Mantenha o condicionamento físico sem neura e livre-se da pressão que o relógio pode fazer em sua mente. Se estiver viajando, aproveite para conhecer os lugares correndo.

SAIA DA ROTINA

Se a ideia é não se esforçar muito e aproveitar o final de ano para descansar, tudo bem: você pode optar por outras atividades físicas para manter-se ativo. Que tal partida de tênis ou uma aula de dança para espairecer? O que importa é não parar de se exercitar e não perder o condicionamento adquirido ao longo do ano.

 

Extraído de: http://www.corridaecia.com.br/como-manter-a-rotina-de-treino-no-fim-de-ano/

Comente o que achou.

Clique aqui

TREINOS E FESTAS DE FIM DE ANO...

DESVIOS DE POSTURA E IMAGEM CORPORAL

Se perguntarmos os motivos que levam pessoas a praticar uma atividade física regular teremos a “melhoria da postura” como um dos grandes motivadores. Essa percepção de “estar torto” ou a dor são os principais indicadores que algo precisa feito com certa urgência.

KISNER, em 1987, descrevia postura como “uma posição ou atitude do corpo, formada pelo arranjo relativo de suas partes para uma atividade específica, ou ainda uma maneira individual de sustentação orientada pela força da gravidade”. Percebeu o negrito? ATITUDE! Então devemos perceber que nem sempre temos desvios posturais que sejam necessárias intervenções mais drásticas ou longos períodos de RPG, como nem sempre são motivados pelo uso demasiado de um dos hemicorpos (lados de dominância – esquerda ou direito).

Uma parcela das lesões que nos acompanham tem relação com a forma que conduzimos nossa vida ou como respondemos a ela. Diversas pessoas tendem a se “moldar” conforme o estresse que é submetido, em resumo, uma grande parte do que sofremos, nós mesmos fomos os grandes causadores, mesmo sem saber.

Aprendemos da década de 90 pra cá verbetes como DORTs, L.E.R, ESCOLIÓSE, LORDÓSE, CIFÓSE... Percebemos também que o avanço da tecnologia, que nos facilitou muito a vida, também nos apresentou patologias como o túnel de carpo e as epicondilites (tendinite) de cotovelo. Advinha? Nem sempre são os mouses mal adaptados ou mesas não ajustadas os grandes vilões e sim as horas e horas repetindo um gesto provocado (ou não) pela necessidade de produzir SOMADAS as outras tantas repetições fora do ambiente de trabalho.

Talvez não tenha nada que influencie mais a postura como a própria gravidade. Temos um centro de massa corpóreo que ao deslocarmos pra frente provocamos o movimento de andar. Esse centro de gravidade varia conforme a forma, peso, altura, massa muscular que o individuo possui. Imagine aonde esta o centro de gravidade de alguém com sobrepeso como um gestante? Percebe o centro de gravidade deslocado pra frente de alguém muito tímido? O corpo procura sempre o conforto.

 

GUERRA CONTRA O SEDENTARISMO

Músculos abdominais fracos associados a quadríceps femorais, lombares e iliopsoas potentes temos então uma situação favorável a se despertar compressões nervosas, hérnias de disco e desgaste articular, e que fique claro que não vemos somente esse quadro em quem passo o dia todo sentado, mas em corredores, alunos de academia que fazem sem orientação, sedentários, mulheres que usam muito salto alto, (...).

Um dos grandes trabalhos feitos pelos fisioterapeutas desportivos e de reabilitação esta o trabalho de imagem corporal. Tenha a curiosidade um dia de pedir para que alguém filme ou fotografe sua postura em pé (parado e andando) e perceberá o quanto seu corpo se moldou a seu jeito de viver. Veremos joelhos pra dentro (um ou os dois), ombros e quadris desnivelados, vícios posturais que explicarão boa parte das dores e dos analgésicos sem necessidade que são administrados.

Uma correção bem feita só acontecerá se for por dentro e por fora. Não adianta as inúmeras aulas de PILATES ou reeducação postural global se não vigiar o vício postural que possuo. Comece pelo trabalho, vá para a correção da pisada, depois na revisão dos pesos e exercícios feitos na academia. Veja os motivos que o (a) levam a treinar; barriguinha nunca será calo sexual se adquirir uma hérnia...

Tudo vira estatística e cabe a você decidir de que lado da estatística quer ficar.

Leia mais em:

http://www.abepro.org.br/biblioteca/ENEGEP2003_TR0208_0612.pdf 

Comente o que achou.

Clique aqui

Estamos vendo acontecer um movimento interessante PRÓ ATIVIDADE FÍSICA, não só em Cuiabá, onde resido, mas na maioria das capitais de estado e grandes cidades do Brasil. As pessoas, sem tanto dinheiro para gastar e sob a necessidade, muito dela bem observada pela mídia em seus programas sobre saúde, entraram de cabeça na atividade física, mas (...)

POLITICAS PÚBLICAS NÃO EMPLACAM...

Na mesma via que anda essa nova (e boa) tendência a buscar pela saúde deveríamos ver outras coisas acontecer como investimentos nos locais públicos (segurança, manutenção, reforma,...), acesso a bons profissionais e incentivos ao uso dos espaços esportivos.

Medidas populistas de legisladores têm cada vez mais estagnado espaços onde surgiram atletas. Pistas de atletismo caras e que alimentaram sonhos, tem cada vez menos atletas podendo treinar visto o espaço cada vez mais ocupado por caminhadas que deveriam ter seu espaço próprio, clubes não tem mais equipes de natação, educação física não sendo mais obrigatória nas faculdades... O que resta é virar militar e bater continência! Ainda bem que ainda existe essa solução!

O nosso site acha que levar a sério a saúde é permitir e incentivar a boa prática da atividade física. Que temos que provocar a sociedade a ver que estamos elitizando ainda mais os eventos esportivos que eram mais baratos e acessíveis às pessoas de todas as classes e bolsos. Não somos contra ao colega que trabalha e ganha seu sustento, pois se não fossem por eles os espaços públicos já estaria depredados ou habitados por vândalos.

Espaços para caminhada, piscinas públicas, aulas gratuitas, ciclovias deveriam ter o incentivo dos governos que reclamam tanto dos gastos com a saúde pública. Prevenir é uma ótima ação proativa. Mais espaços adequados colaboram a menos oportunidades de doenças.

 

COLABOROU COM ESSE ARTIGO

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/2

SEM ESPAÇO O POVO FICA MAIS EM CASA...

Dados de 2014, Cuiabá é a segunda capital do Brasil em número de adultos obesos e como sabemos, o sedentarismo é um dos grandes alimentadores desse número, algo que contrasta com o crescimento exponencial no número de pessoas que passaram a fazer alguma atividade física em 2015.

Aliado ao sedentarismo, a falta de espaços a nutricionista Ingrid Breunig aponta que a obesidade decorre da interação entre fatores genéticos, culturais e familiares. A globalização, o consumismo, a necessidade de prazeres rápidos e respostas imediatas transformaram esta epidemia em uma questão social.

Sem clubes esportivos, questões financeiras, espaços sem segurança, uso de eletrônicos e condomínios mais completos se somam as justificativas, então para agravar o quadro, como apontam a especialista, alguns padrões alimentares mudaram, pois “houve uma inversão nos hábitos: pouco consumo de frutas e hortaliças, aumento no consumo de guloseimas (bolachas, salgadinhos, doces) e refrigerantes, são exemplos de rotinas que antigamente eram exceções”.

Parece que muito colabora para o sedentarismo, por isso uma mudança de cultura e consciência deve ser aplicada a geração atual para que vire hábito das futuras. Há sempre tempo para mudar e acrescentar vida a seus anos!

Sem Mi Mi Mi! Para caminhar ainda temos as ruas, mesmo que seja do seu condomínio.

Comente o que achou.

Clique aqui

LESÕES X EQULIBRIO MUSCULAR. PREVINA-SE E RENDA MAIS!

Como o foco do site é o esportista amador temos nos dedicado a informar e orientar situações, que de tão frequentes, se tornam dores de cabeça àqueles que praticam uma modalidade ou atividade de forma regular (orientada ou não). As lesões representam uma boa parcela dessas chateações.

Na busca de melhores marcas ou resultados, o praticante busca por todo tipo de informação e muitas delas caminham para o fortalecimento muscular. Pronto! Temos um atleta na academia! Mas os problemas não acabaram!

Nadadores, triatletas, corredores, lutadores no ambiente da musculação devem se ater a alguns detalhes importantes antes de embarcar de cabeça nas anilhas e placas:

  • O planejamento pode ser geral, mas num dado momento a atividade terá que ser especifica e adaptada a mecânica do esporte;

  • O profissional deve conhecer as características do esporte;

  • Invista em flexibilidade;

  • Respeite o planejamento das suas planilhas;

  • Observe se existem desiquilíbrios de força.

Esse último é um dos mais importantes, pois dependem não somente do profissional mas de uma soma de coisas dentro do planejamento

O equilíbrio muscular é um dos quesitos fundamentais para o desempenho do atleta e na prevenção de lesões. Não é somente medir (perimetria) e saber sem uma coxa ou braço tem a mesma medida que o outro e sim se músculos agonistas e antagonistas conseguem resistir as explosões ou necessidades de seus pares, ou seja, que adianta ter um bíceps braquial forte se o tríceps não suporta controlar ou coordenar o movimento?

Perceba que as necessidades de quem faz musculação como atividade “FIM” são diferentes de quem procura a musculação como complemento? A musculação “FIM” tem foco (normalmente) estético ou corretivo e a outra como composição de um planejamento estrutural e de rendimento. Naturalmente, existem diferenças de forças, dinâmica, habilidade entres os hemicorpos (metades direita e esquerda) sendo que o lado dominante tende a levar vantagem, entretanto esta diferença não pode ser muito acentuada.

Essas duas diferenças (hemicorpos e função) são responsáveis por boa parte das lesões e não somente pela falta de habilidade ou condicionamento físico nos iniciantes e despreparados como muitos pensam.

Diferenças acentuadas de hemicorpos tendem a mudar a mecânica do esporte, e tais adaptações podem ou não ser necessárias. Nunca percebeu que muitos nadadores tem um ombro mais alto que outro? O lado menos dominante procura uma posição mais eficiente para compensar a falta de força e/ou habilidade assim, desenvolvendo-se (visualmente) mais que o outro.

Diferenças de função são as que mais causam lesões depois dos traumas diretos. São comuns, por exemplo, nos jogadores de futebol que investem fortemente no ganho de quadríceps para ter chutes mais fortes, no entanto, o bíceps femoral (posterior da coxa esquecido no planejamento), não suportando essa força “a mais”, sucumbe em lesões após lesões. Lutadores e corredores sofrem constantemente desse mal.

Viu que não é só medir?

Uma coisa é consenso: para evitar e corrigir desequilíbrios musculares, o atleta deve sempre se preocupar em procurar um profissional com formação acadêmica adequada para orientar a solicitação das avaliações para diagnóstico e tratamento. Você é amador, mas nesse assunto, buscar um profissional qualificado é valorizar seu investimento.

TRATAR
TRATAR
press to zoom
FORÇA
FORÇA
press to zoom
ALONGAR
ALONGAR
press to zoom
LESÃO
LESÃO
press to zoom
TRATAR
TRATAR
press to zoom
SINAL
SINAL
press to zoom

Comente o que achou.

Clique aqui